Todos os índices relacionados à covid-19 têm caído no DF, diz secretário da Casa Civil

Índice de transmissão de covid-19 no DF que chegou a 1.38 está atualmente em 0.83, o que é considerado positivo pelas autoridades de saúde

Segundo Gustavo Rocha, tanto o nível de transmissão, de novos casos, de casos ativos e também o número de pessoas na lista de espera para leitos de UTI têm caído nos últimos dias

Por Cláudio Ulhoa

Durante a entrevista coletiva desta segunda-feira (26/4) para tratar de assuntos relacionados ao combate à covid-19, o secretário da Casa Civil do Governo do Distrito Federal, Gustavo Rocha, ressaltou que, nós ultimos dias, todos os índices relacionados à pandemia caíram. Segundo Rocha, a principal e mais importante redução tem ocorrido sobre o nível de transmissão da doença, que em momento críticos desta segundo onda chegou a 1.38 e hoje se encontra em 0.83.

Mas não é só em relação a esse índice, também ocorreu redução no número de casos ativos, ou seja, quando se pode transmitir o vírus, que caiu de 16 mil – em momento críticos – e agora está em 9,392. O mesmo aconteceu com o total de novos casos, que caiu de mil para 938.

“Essa queda vem se mantendo constante nas últimas semanas e, segundo os dados, a tendência é de que esta queda continue”, disse o secretário.

Outra informação importante com relação a essa redução foi sobre a lista de espera para leitos de UTI. A lista que chegou a ter até 331 pessoas na espera por um leito, hoje está em 77, sendo que desse total apenas 5.19% são casos de prioridade 1.

“77 ainda é um número alto, porque não há que ter nenhuma pessoa aguardando UTI, mas a tendência, em razão desta queda constante, acentuado, é de que em um período muito curto a gente consiga zerar essa lista”, salientou Rocha.

O secretário também comentou sobre o aumento de internação por parte de pessoas mais jovens. Segundo Rocha, nos últimos 30 dias, houve aumento de 62,5% no número de pessoas internadas com idade entre 15 e 29 anos; aumento de 27,3% em pessoas com 30 e 39 anos; aumento de 18,5% em pessoas com 40 e 49 anos; e aumento de 16% em pessoas com 50 e 59 anos.

Por outro lado, sobre os idosos tem havido queda, como é o caso das pessoas com 75 e 79 anos, que tiveram queda na internação de 26,9% e das pessoas de 70 e 74 anos, que também caiu para 13,2%.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui