Terminal rodoviário e restaurante comunitário deverão ser construídos no setor habitacional de Arapoanga, em Planaltina, informa GDF

O terminal rodoviário dever beneficiar, além de Arapoanga, outros 22 condomínios da região

Líderes comunitários da região já se reuniram com o administrador local, Célio Rodrigues para tratar sobre o assunto; a expectativa é que a obra sai do papel nos próximos meses

Por Redação

Os moradores do Setor Habitacional Arapoanga, em Planaltina, devem receber nos próximos meses duas obras de infraestrutura urbana para ajudar na melhoria da qualidade de vida. Trata-se de um terminal rodoviário e de um restaurante popular. A informação foi confirmada pelo nossa reportagem e neta semana já aconteceram as primeiras reuniões com as autoridades locais para tratar sobre o assunto.

Nesta segunda-feira (24), líderes comunitários de Arapoanga se reuniram com o administrador de Planaltina, Célio Rodrigues, e também com o deputado distrital, Cláudio Abrantes (PDT), para conhecerem a maquete digital do novo terminal rodoviário. A construção do espaço é uma antiga demanda da população local que há anos sofre com a falta de infraestrutura no transporte público.

A reunião foi coordenada pela Secretaria de Mobilidade do DF e contou com a participação do secretário da pasta, Valter Casimiro, e do subsecretário, Roni Bento. De acordo com Casimiro, a escolha do local de implantação do terminal foi estratégica, uma vez que deverá beneficiar diretamente a população de Arapoanga e de mais 21 condomínios circunvizinhos, inclusive o Vale do Amanhecer.

A área onde o terminal será edificado fica na avenida Erasmo de Castro.

Urbanidade

No início deste mês, já tinha sido publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) o projeto urbanístico de Arapoanga. Com capacidade para acolher 1.158 pessoas, que já vivem na região em 253 lotes, o projeto tem área de 81,9 mil metros quadrados, e era de propriedade particular.

No início de agosto, o GDF publicou no Diário Oficial o projeto urbanístico de Arapoanga regularizando lotes para mais de mil moradores

“Os lotes serão destinados à habitação, pequenos comércios e uso misto. O projeto urbanístico prevê ainda a qualificação do espaço urbano, amenizando impactos sociais e ambientais decorrentes da ocupação irregular e promovendo a adequação do sistema viário”, informou o GDF à época da publicação no DODF.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui