Secretário de Saúde do DF não descarta a possibilidade de uma segunda onda de covid-19

Osnei Okumoto falou durante entrevista coletiva, nesta segunda-feira (30), que a pasta está em estado de “alerta”, já que estaria começando haver um aumento no número de contaminados; ‘Por isso, solicito que a população tome cuidado e não relaxe’, lembra o secretário

Por Cláudio Ulhoa

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, não descarta a possibilidade de haver uma segunda onda de covid-19 no próximo ano. A fala do secretário foi feita, nesta segunda-feira (30), durante entrevista coletiva realizada com o intuito de para abordar as medidas de enfrentamento de uma possível segunda onda do novo coronavírus Sars-CoV-2 no Distrito Federal. “Estamos em alerta para esta possibilidade”, afirmou o secretário.

A preocupação das autoridades – o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Petrus Sanchez, e o diretor de Vigilância Epidemiológica, Cássio Peterka também participaram da coletiva – agora é fazer com que essa segunda onda não venha acontecer. Para isso, a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), realiza entre os dias 2 e 20 de dezembro, um estudo epidemiológico para ter uma noção da proliferação da doença na sociedade. Todas as regiões administrativas serão avaliadas por esse estudo, que sorteará 230 pessoas em cada uma das 34 regiões administrativas para saber se ela teve contato com o coronavírus.

A Secretaria de Saúde do DF vai iniciar uma sondagem com a população para saber quem já teve contato com a doença

Para o secretário, um dos motivos que está levando que haja aumento no número de casos de contaminados pela doença, seria um descuido por parte da população em relação às medidas de prevenção, como principalmente, a quebra do isolamento social. “Foi um relaxamento por parte da população. Percebemos uma grande quantidade de jovens em bares e estabelecimentos compartilhando itens. Por isso, solicito que a população tome cuidado e não relaxe”, disse Okumoto.

A taxa de contaminação atualmente no DF, segundo dados da SES-DF, é de 1,3, o que indica uma expansão da doença. “Observamos três requisitos para avaliar a possibilidade de segunda onda: taxa de transmissão; quantidade de pacientes internados e quantidade de óbitos”, lembrou o secretário.

A SES-DF informou que também irá começar uma campanha através dos representantes do setor comercial, como bares, restaurantes, lojas, para que seja feita uma campanha de conscientização sobre os cuidados a serem tomados para que a doença não volte de forma intensa.

Além disso, o secretário também informou que a pasta recebeu a doação de 10 mil testes que serão utilizados durante o estudo epidemiológico nas regiões administrativas. Mais 34 profissionais da atenção primária, 34 bombeiros e viaturas, além de 34 profissionais do Sesc também vão ajudar na realização do estudo.

Os hospitais também devem receber reforço para os próximos meses. Segundo o que fora divulgado durante a coletivo, a SES-DF vai abrir, a partir de terça-feira (1/12), as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado Emergencial para contratação temporária de 52 médicos e formação de cadastro reserva de outros 26. As vaga serão para o Samu, hospitais da Asa Norte e Brazlândia.

Haverá ainda, no dia 4 de dezembro, a nomeação de nomear mais 187 profissionais da saúde, sendo 147 médicos, 10 farmacêuticos, quatro fonoaudiólogos, 16 enfermeiros e 10 técnicos de hematologia e hemoterapia.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui