Salário mínimo para o próximo ano é de R$ 1.067

Salário mínimo para 2021 ficará em R$ 1.067

Houve aumento de R$ 22, mas o governo pode aumentar o valor conforme a situação econômica do país; previsão do PIB para 2021 caiu de 3,3% para 3,2%

Por Redação

Ao entregar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 ao Congresso Nacional, o governo federal apresentou suas expectativas de gastos para o próximo ano. Entre elas, está o aumento do salário mínimo, que sai dos atuais R$ 1.045 para R$ 1.067. O aumento de R$ 22 está abaixo do proposto pelo governo inicialmente, que propunha aumento de R$ 30, mas ele ainda poderá ser modificado, conforme da evolução dos parâmetros econômicos.

O salário mínimo a partir deste ano passa a não mais ser determinado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) também de dois anos antes. Agora o mínimo é corrigido apenas pelo INPC, considerando o princípio da Constituição de preservação do poder de compra do mínimo.

A LDO também apresenta queda na inflação para o próximo período. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede os produtos básicos consumidos pela população, em abril, era calculado pelo governo no patamar de 3,65%, mas caiu para 3,24%.

O resultado do PIB também foi revisado, saindo de 3,3% para 3,2% em 2021. O dólar médio chegará a R$ 5,11 em 2021, contra estimativa de R$ 4,29 da LDO.

A importância do mínimo

Para o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, a LDO está sendo proposta dentro dos limites estabelecidos pelo teto de gastos. Por outro lado, ele destacou a importância de se ter aumento real no salário mínimo em razão de seu efeito multiplicador.

Dieese diz que salário mínimo ideal para uma família de quatro pessoas tinha de ser de R$ 4. 4.420,11
(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

“Cada R$ 1 a mais representa R$ 300 milhões de despesa. Nosso objetivo é buscar o atendimento ao teto de gastos. Qualquer reforço na política social terá de vir com a robustez do fiscal”, explica Rodrigues.

O valor de R$ 1.067 a ser pago ano que vem não corresponde à sugestão do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) que diz que uma família brasileira, com quatro pessoas, precisaria ter um salário mínimo de R$ 4.420,11para viver com dignidade.

“Evidentemente, falta dinheiro no fim do mês. Mal dá para pagar a luz e comer. Por isso, a fome voltou a ser um problema que acomete boa parte dos brasileiros. Quase 20% da população não sabe o que vai comer na próxima refeição. Isso aumentou em 2019 e deve ter piorado muito em 2020, por conta da pandemia”, ressalta o José Álvaro Cardoso, economista e supervisor técnico do Dieese em Santa Catarina.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui