Relator considera que não há provas contra Ibaneis em caso de suspeita de compra de votos

TSE nega pedido de cassação do governador Ibaneis Rocha Foto: Ed Alves

O TSE negou pedido feito pelo ex-governador Rodrigo Rollemberg de que Ibaneis teria comprado votos quando prometeu doar casas com seu próprio dinheiro a moradores de uma colônia agrícola durante a campanha de 2018

Por Redação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por unanimidade, negou o pedido de cassação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), depois de ele ter sido julgado como suspeito de ter praticado os crimes de abuso de poder econômico e abuso de poder durante a campanha de 2018. O relator do caso, o ministro Og Fernandes, disse que as acusações não tinham “provas robustas” por isso, o pedido de cassação do mandato do governador feito pelos seus adversários na campanha em 2018, Rodrigo Rollemberg (PSB) e Fátima Sousa (Psol), deveria ser negado.

Foi acusado de compras de votos; relator do caso apontou ausência de provas

A denúncia consistia em um episódio de campanha, onde Ibaneis teria prometido a compra de imóveis com dinheiro próprio para serem doadas aos moradores de uma colônia agrícola. Porém, o relator disse que o fato de prometer a compra, Ibaneis teria apenas praticado uma promessa, um discurso de campanha. Portanto, a prática não se enquadraria na Lei das Eleições porque não foi efetivada a compra de votos.

Além do relator, votaram pela rejeição os ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui