Rede pública de saúde do DF passa a oferecer teste gratuito de mapeamento genético em mulheres com risco de desenvolver câncer de mama

A lei, que é de autoria do distrital Rafael Prudente, entrou em vigor nesta quinta (26); no DF, estima-se que 700 novos casos de câncer de mama surgem por ano

Por Redação

Foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta quinta-feira, 26, a Lei 6.733/2020 que determina a rede pública de saúde do DF a realizar teste de mapeamento genético em mulheres com risco de desenvolver câncer de mama. A lei, que é de autoria do presidente da Casa, o deputado Rafael Prudente (MDB) vai ter o caráter de assegurar todos os recursos necessários à disponibilização do teste genético.

“As chances de vencer a temida moléstia são maiores quando o diagnóstico ocorre no estágio inicial da doença”, disse Prudente, logo após saber da publicação da lei.

O teste genético possibilita identificar a mutação no gene BRCA às mulheres classificadas em laudo médico como de alto risco de desenvolver câncer de mama. “Apesar do medo que o câncer provoca entre os pacientes e familiares, em razão do alto índice de óbitos, a neoplasia maligna tem cura”, lembra Prudente.

O PL é de autoria do presidente da CLDF, Rafael Prudente

O deputado usou dados do Ministério da Saúde e do Instituto Nacional do Câncer (INCA) para justificar a iniciativa. Segundo esses órgãos federais, o câncer de mama é uma doença que responde por 25% dos novos casos anuais de câncer no Brasil.

O DF, segundo o INCA, está em 11º lugar no Brasil em números absolutos de casos de câncer de mama, com uma estimativa de 700 casos novos por ano. No final de setembro, o governo local inaugurou um Centro de Radioterapia no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e, depois, em outubro, coordenou o Mutirão de Reconstrução Mamária, também no HRT, que beneficiou 40 pacientes. Foram feitas, cirurgias de reconstrução da mama, mastectomia com reconstrução e tatuagem de aréolas. Os procedimentos ocorrerão até o dia 30 de outubro e integram a campanha Outubro Rosa da Secretaria de Saúde.

A lei que entra em vigor hoje também vem neste sentido de dar mais condições às mulheres em relação ao tratamento do câncer de mama. Por isso, uma das determinação da lei é que o GDF passe agora a promover campanhas educacionais para o esclarecimento da população sobre a importância da prevenção e da detecção precoce da doença.

“O teste de mapeamento genético permitirá a identificação da doença de maneira mais rápida, e com isso o tratamento será bem mais eficaz“, explica Prudente.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui