Receita do DF identifica sonegação de R$ 49 milhões

Empresas autuadas já vinham sendo monitoradas; algumas poderão perder a inscrição | Foto: Divulgação / Secretaria de Economia

Operação resultou no cancelamento da inscrição estadual de dez empresas por fraude. Outras seis estão com a inscrição suspensa

Auditores da Receita do Distrito Federal realizaram, nesta semana, diligências em 24 endereços para verificar a veracidade das informações cadastrais de empresas. A operação Dados Reais não foi de rotina. Registradas nos segmentos de grãos, alimentos, materiais de construção e informática, entre outros, essas empresas já vinham sendo monitoradas e apresentavam indícios de sonegação de impostos.

Foram confirmadas irregularidades em 16 estabelecimentos que, juntos, sonegaram R$ 49 milhões. Dez empresas que haviam fornecido endereço inexistente terão a inscrição estadual cancelada após a publicação de edital no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). Em outros seis endereços que seriam comerciais, não havia sinal de atividade desse tipo. Essas estão com a inscrição estadual suspensa.

Sem a inscrição estadual, as empresas ficam impedidas de emitir ou receber notas fiscais. Normalmente, em casos de fraude, ninguém aparece para questionar o cancelamento ou a suspensão.

As outras oito empresas visitadas pareciam funcionar regularmente no momento da diligência, mas seguem em investigação para a Receita verificar se os indícios encontrados previamente foram erros dos contribuintes ou fraude.

Cobrança do imposto devido

A operação Dados Reais foi às ruas na terça-feira (14), em endereços na Cidade Estrutural, em Ceilândia, Vicente Pires, Sobradinho, Paranoá, Taguatinga, Samambaia, Recanto das Emas e Gama.

Quando ocorre uma ação como essa, a Gerência de Fiscalização de Mercadorias em Trânsito envia relatórios à Assessoria de Investigação Criminal — ambas são unidades da Subsecretaria da Receita, que integra a estrutura da Secretaria de Economia. Caso seja necessário dar seguimento à investigação, o caso será enviado à Polícia Civil.

O objetivo dessa colaboração é identificar quem tem a capacidade de pagar o imposto sonegado, para que seja feita a devida cobrança. Além disso, empresas fraudulentas podem ir além da sonegação de impostos e cometer crimes, como formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A suspeita de fraude, muitas vezes, surge da análise de dados gerados pela emissão de notas fiscais eletrônicas. Observando essa movimentação, com números atualizados constantemente, é possível identificar desvios de padrão e irregularidades – como uma empresa que só vende produtos, que só compra produtos, que comercializa um produto inexistente ou que apresenta volume inesperado de vendas.

Outro indício de irregularidade é o registro de endereços inexistentes, incompatíveis ou de outras empresas. Em alguns casos, a fraude é confirmada rapidamente e os registros são cancelados logo após publicação de edital no DODF. No primeiro semestre, outras dez empresas tiveram inscrições estaduais canceladas por algum tipo de fraude.

Informações Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui