“Que possamos seguir esse caminho de espírito público”, declarou Caiado após a missa de sétimo dia de Maguito Vilela

Foto: Vinícius Schimidt Governador Ronaldo Caiado e primeira-dama Gracinha Caiado, durante missa de sétimo dia de Maguito Vilela, realizada na Catedral Metropolitana de Goiânia

Ao lado da primeira-dama, Gracinha Caiado, governador uniu-se a familiares enlutados para celebração religiosa, conduzida por Dom Washington Cruz, em homenagem ao prefeito de Goiânia falecido no último dia 13 de janeiro

O governador Ronaldo Caiado, ao lado da coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado, participou da missa de sétimo dia realizada em homenagem a Maguito Vilela na noite desta terça-feira (19/01). “Existem na política pessoas honradas, sérias e que realmente são merecedoras de todo reconhecimento público, como é a trajetória do ex-governador Maguito Vilela”, ressaltou Caiado. “Que a gente possa seguir esse caminho de espírito público”, defendeu.

O momento de oração foi celebrado pelo arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz, na Catedral Metropolitana de Goiânia, e reuniu familiares e amigos em luto pela morte do prefeito de Goiânia, no último dia 13 de janeiro, vítima de complicações da Covid-19.

Após quase três meses internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, Maguito faleceu enquanto estava em um dos mais importantes períodos de sua trajetória política. Depois de acumular um extenso currículo em que passou por todos os cargos eletivos no Executivo e Legislativo goianos, além de ter sido deputado federal e senador da República, ele teve o reconhecimento da população ao conquistar a vitória para a prefeitura da capital, mesmo em um momento de adversidade.

A perda de um dos maiores nomes da política em Goiás gerou uma série de gestos de reverência e de solidariedade por parte do governador. Desde o momento em que recebeu a notícia do falecimento de Maguito, Caiado agiu para garantir que todas as honrarias de Estado fossem prestadas. O prefeito eleito partiu aos 71 anos e deixou a esposa, Flávia Teles, quatro filhos, uma enteada e netos.

Em homilia, Dom Washington Cruz disse que a missa dedicada à memória de Maguito é “particularmente significativa e, ao mesmo tempo, obrigatória” em virtude do legado e todo serviço prestado durante os mandatos e cargos ocupados “para o bem da nação”. “Esta é a verdade de nosso prefeito eleito e licenciado: fé e confiança em Deus, a quem sempre buscou seguir, servir e entregar-se”, lembrou.

A mensagem do arcebispo de Goiânia buscou levar esperança e conforto, em especial à família e amigos mais próximos. “Quando a morte nos visita, eis que, no fundo do coração, renasce a saudade de alguém que nos possa acolher e fazer com que nos sintamos amados. Nostalgia do Pai, neste sentido, a imagem de alguém em que podemos confiar sem reserva, o porto serguro”, afirmou.

Para Dom Washington, Maguito, enquanto cristão, “sempre esteve nas mãos de Deus”. “Agora, nos colocamos nas mãos divinas, sabendo que, na vida e na morte, somos de Deus”, pontuou ao mencionar a necessidade de consolação ao povo de Goiás.

O atual prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, esteve presente na celebração, definida por ele como uma ocasião “marcante para toda família”. “O momento é de reflexão e, ao mesmo tempo, de gratidão a Deus pelos dias e anos em que Maguito Vilela esteve em nosso meio”, declarou durante coletiva.

Transmitida pelas redes sociais de Caiado, a missa foi acompanhada por centenas de seguidores que manifestaram suas condolências e guardaram também instantes de oração pela partida do ex-governador de Goiás.

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui