Presidente da CLDF diz que a composição do parlamento é totalmente independente e que orçamento de 2021 é principal matéria neste semestre

Lei orçamentária é prioridade da Casa neste semestre, diz Rafael Prudente

Para Rafael Prudente, também falou sobra a postura do Legislativo diante da pandemia de covid-19 e destacou que, nos próximos meses, ainda deverá ser votado a matéria que trata da alteração na Lei de Uso e Ocupação do Solo

Por Redação

Em entrevista à imprensa local, o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Rafael Prudente (MDB), falou sobre os trabalhos da Casa para o próximo período. Ele também lembrou as ações realizadas pela CLDF no primeiro semestre e destacou que uma das primeiras matérias a ser avaliada neste segundo semestre é o orçamento do próximo ano. “Nós temos um projeto muito importante, que é a Lei Orçamentária de 2021. Nós teremos um semestre inteiro para trabalhar essa legislação que, na verdade, é a mais importante de todo o ano”, disse o presidente.

A CLDF também ficou fechada durante o período mais crítico da pandemia de covid-19, mas retornou às atividades, dentro dos protocolos de segurança, na semana passada. Para Prudente, mesmo com as sessões a distância, os trabalhos prosseguiram e surtiram resultado. Ele explica que, este ano, antes da pandemia, a ideia era pautar matérias que não comprometesse a responsabilidade fiscal do Estado, mas isso não foi possível.

“Então, focamos muito na parte econômica para destinar recursos às áreas da saúde e da educação. Isso para deixar as escolas aptas a oferecerem aulas via internet, fazerem reformas e terem uma condição melhor para quando os alunos voltarem. Também focamos na área social, votamos créditos orçamentários para criar o auxílio emergencial da renda mínima e também auxílio para o pessoal do transporte escolar”, explicou Prudente.

Com as retomadas das atividades, a CLDF deve se debruçar, conforme afirma o presidente, em assuntos que visem o retorno das atividades sociais e comerciais, assim como matérias que tratem da infraestrutura urbana, como será o caso da matéria a ser enviada pelo governo local sobre a alteração na Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS).

A alteração na Lei de Uso e Ocupação do Solo é outro projeto polêmico que vai entrar em análise na Casa

“Há algumas falhas, alterações e ajustes que precisam ser feitos [na LUOS). Há, também, a expectativa de recebermos um projeto de lei que permite moradia no Setor Comercial Sul (SCS), projeto que vai ser muito debatido, assim como foi o caso (das mudanças) no Setor de Indústria Gráfica (SIG).

Pandemia

O presidente também comentou sobre o momento, ainda vivido, de pandemia que já matou mais de mil pessoas no DF. De acordo com Prudente, a Casa vai apoiar o governo com o retorno das atividades. Assim como pensa o governador Ibaneis Rocha (MDB), o presidente da CLDF também acredita que a volta das atividades deve ser amparada por medidas de segurança estabelecidas pelo poder público. “O governo achou, por bem, fazer alguns decretos liberando, com certas restrições. E temos a polícia, o Corpo de Bombeiros e o DF Legal fazendo essa fiscalização. No momento em que o governo faz a reabertura do comércio, ele acaba dividindo a responsabilidade com pessoas, empresários e donos de estabelecimentos”, afirma.

Ainda segundo Prudente, antes de haver um programa estabelecendo normas para essa retomada, a população já estava praticando o retorno de forma voluntária e sem coordenação. “As estatísticas que o GDF nos mostrou é que as pessoas, com ou sem decreto, estavam transitando livremente na cidade, sem nenhum tipo de precaução. Parecia que as pessoas não entendiam a importância do distanciamento social, de ficar em casa, do uso máscara, de álcool em gel, dos cuidados básicos”, destacou o presidente.

Política

Rafael Prudente tem sido um aliado de primeira hora do governador Ibaneis. Pelo fato dos dois serem do mesmo partido, o MDB, aumenta ainda mais essa sintonia. E essa parceria, que deve continuar, parece que tem gerado resultados, conforme explica o próprio Prudente. “Votamos uma série de projetos polêmicos no primeiro semestre, como a reforma da previdência. Certamente, teremos um semestre tão ou mais movimentado quanto o primeiro semestre legislativo do ano.”

Porém, mesmo havendo harmonia entre os Poderes, o presidente ressalta que a CLDF mantém sua independência. “Tanto é que todos os projetos que o governo enviou para a CLDF sofreram alterações”, pontua.

Ao ser indagado sobre a base do governo na CLDF, Prudente é voltou a dizer que há independência na Casa, e explicou que cada distrital tem se posicionado de forma bastante particular, conforme cada matéria apresentada.

“A gente pauta as matérias e cada um vota de acordo com a sua consciência, mas a gente tem feito o nosso papel, nós conseguimos chegar em consenso em quase 100% dos projetos que foram encaminhados, seja do Executivo, seja também do Legislativo”, avaliou Prudente.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui