Praça dos Três Poderes ficará fechada no dia 7 de setembro, diz secretário de Segurança Pública do DF

Já há registrado para o feriado do dia 7 de setembro, 13 manifestações por parte de movimentos sociais e partidos de direita e três pelo segmento da esquerda

A medida foi tomada em razão das manifestações programadas para ocorrer durante o feriado; DF Legal interdita 21 estabelecimentos que estavam promovendo eventos com música ao vivo

Por Cláudio Ulhoa

As manifestações do dia 7 de setembro, tanto a favor como contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), marcadas para ocorrerem na Esplanada dos Ministérios contará com já conhecido protocolo de segurança adotado em ocasiões do gênero pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF).

Em entrevista coletiva à imprensa, nesta tarde (31/8), o titular da SSP-DF informou que já está decidido que a Esplanada dos Ministérios ficará fechada para veículos. Também a Praça dos Três Poderes ficará interditada para pessoas, finco assim, as manifestações restritas apenas às vias da Esplanada.

“A nossa intenção é garantir a segurança dos manifestantes, do cidadão que queira se manifestar”, disse o secretário Júlio Danilo. Além dessas medidas ainda haverá a “linha de revista” para verificar se os manifestantes estão portando algum objeto que possa ser utilizado como arma de confusão generalizada. “Então para evitar que qualquer pessoa adentre, seja com uma garrafa de vidro, pedaço de ferro, numa bandeira, que possa ser utilizado como arma, nós estaremos revistando”, disse o secretário.

Ele informou ainda que, dias antes das manifestações, equipes do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) farão uma varredura na Esplanada para recolher objetos que possam representar perigo aos manifestantes.

DF Legal elenca os 20 estabelecimentos que mais descumpriram as regras durante a pandemia, chamados de Top 20

“Foi feita toda uma preparação pela Secretaria de Segurança Pública para organizar a realização dessas manifestações, lembrando que é direito das pessoas realizarem essas manifestações, mas também é dever do Distrito Federal zelar para que essas manifestações ocorram de forma pacífica e ordeira”, disse o chefe da Casa Civil do GDF, Gustavo Rocha, que também participou da coletiva.

Outro presente na coletiva, o secretário do DF Legal, Cristiano Sousa, aproveitou a oportunidade para falar sobre as ações de fiscalização que ocorreram nos últimos dias em bares e restaurantes para certificar sobre o cumprimento das sanitárias contra a covid-19.

Pela explanação do secretário, há no DF, um grupo de 20 estabelecimentos comerciais, o que ele chamou “Top 20”, que reiteradamente estão descumprindo as determinações dos decretos que regem o funcionamento desses estabelecimentos durante a pandemia.

Segundo Cristiano, a fiscalização conseguiu, nós últimos dias, interditar 21 estabelecimentos que ofereciam eventos com música ao vivo, o que é proibido. Os espaços ficarão fechados por 30 dias, podendo chegar a 60 dias, e também foram multados em até R$ 20 mil.

“A grande maioria vem cumprindo os dispostos nos decretos do governador vem obedecendo às regras e os protocolos, agora, infelizmente um número pequeno que o DF Legal já detectou bem sistematicamente descumprindo as regras dos decretos”, fez questão de ressaltar o chefe da Casa Civil.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista membro da ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui