PIB brasileiro cai no primeiro trimestre; só na agropecuária houve ganho

Apenas a agropecuária teve crescimento (1,9%), revela pesquisa Foto:Jaelson Lucas / AEN

A queda foi mais baixa se comparada ao mesmo período do ano passado, que também teve queda; a indústria de transformação foi a que mais caiu, teve perda de 12,5%

Por Redação

Os efeitos da pandemia de covid-19 começam a ser refletidos no Produto Interno Bruto (PIB). Em monitoramento realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgado hoje, 22, foi detectado uma queda de 6,1% no trimestre deste ano, que se encerrou em abril. O mesmo período do ano passado também houve queda, mas mesmo assim ficou acima, em 4,9%. Se comparado o mês de março e abril com o mesmo período do ano passado, as quedas foram de -9,3% e -13,5% respectivamente.

Pelo jeito a queda deve continuar e o segundo trimestre pode ser fechado com baixas ainda maiores. O coordenador da pesquisa, Claudio Considera, disse que as medidas de segurança contra o coronavírus, como a paralisação das atividades comerciais por meses, contribuíram para o baixo resultado do PIB.

“O dado de abril mostra que, a retração recorde da economia, não apenas no PIB, porém disseminada em diversas atividades e componentes da demanda, é a pior da história recente”, explicou o pesquisador.

As maiores quedas foram na indústria9,1%, com destaque para a indústria da transformação (que produz plásticos, cigarros, bebidas, por exemplo), que caiu 12,5%.E os setores de serviços que diminuíram 10,7%. As maiores perdas foram observadas nos outros serviços, que diminuíram 22,1% – nesta categoria entra restaurantes, bares e outros.

De acordo com o monitoramento, o único segmento que teve aumento no trimestre foi o agropecuário, de 1,9%.

Bolsa família

O governo federal paga hoje, 22, a terceira parcela do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família que tenha NIS com final 4. Desde quarta-feira (17) passada os pagamentos estão sendo feitos. Começou com os beneficiários cujo dígito final do NIS era 1, 2 e 3 (ver tabela abaixo).

Os repasses de R$ 600 a R$ 1.200 obedecem ao calendário habitual do programa até 30 de junho.

No caso dos beneficiáriosdo Bolsa Família, os pagamentos são feitos normalmente conforme já estabelece o programa.

Veja abaixo a data da tabela de pagamento para os cadastrados no Bolsa Família:

Data Nº. de beneficiados Último dígito do NIS
18 de junho 1.926.557 dígito 2
19 de junho 1.923.492 dígito 3
22 de junho 1.924.261 dígito 4
23 de junho 1.922.522 dígito 5
24 de junho 1.919.453 dígito 6
25 de junho 1.921.061 dígito 7
26 de junho 1.917.991 dígito 8
29 de junho 1920.953 dígito 9
30 de junho 1.918.047 dígito 0

 

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui