PF deflagra operação contra integrantes do PCC no DF

Além da capital federal, onde foram cumpridos três mandados de prisão e dois de busca e apreensão, também houve operação em outros 19 Estados

Por Redação

Uma operação foi deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira (31) para desarticular uma possível atuação do Primeiro Comando da Capital (PCC) em 19 Estados e no Distrito Federal. Segundo a PF, a operação, intitulada de Operação Caixa Forte, investiga um suposto esquema de repasse de dinheiro a integrantes detidos e familiares de integrantes da organização criminosa que também estão presos.

“As investigações apontaram que líderes da facção, mesmo presos, recebiam uma espécie de auxílio. O valor era repassado aos criminosos por meio de contas de parentes indicadas por eles”, informa a PF.

Ao todo, 1.100 policiais foram às ruas para cumprir 623 ordens judiciais, sendo 422 mandados de prisão e 201 de busca e apreensão, além do bloqueio judicial de até R$ 252 milhões.

No DF, a PF informa que foram cumpridos três mandados de prisão e dois de busca e apreensão.

“Os valores auferidos com o comércio ilícito de drogas eram, em parte, canalizados para inúmeras outras contas bancárias da facção, inclusive para as contas do ‘Setor da Ajuda’, aquele responsável por recompensar membros da facção recolhidos em presídios”, detalha a PF.

Grande parte dos líderes do PCC, inclusive o considerado o líder maior, o Marcola, está preso na Penitenciária Federal de Brasília. Em fevereiro, o DF pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que os líderes do PCC fossem transferidos para outros presídios, alegando que o DF “abriga não só a cúpula dos Poderes da República e os mais altos dignitários do País, mas também todos os ilustres Representantes dos 127 países com quem o Brasil mantém relações diplomáticas”.

Mas o ministro Luís Roberto Barroso, que analisou o pedido, indeferiu a solicitação alegando que o DF possui a “maior e melhor estrutura de apoio, por parte de outros órgãos de segurança pública e defesa, justamente em razão de Brasília abrigar não somente a cúpula dos Poderes da República, mas também a cúpula de todas as Forças de Segurança Pública e Defesa Nacional”.

Nesta operação deflagrada hoje os investigados são suspeitos de praticarem crimes de participação em organização criminosa, associação para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Por Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui