Os primeiros brasilienses de 2021

A mãe, Jeisy, com o pequeno Ravi: “Estou feliz que ele tenha vindo dessa forma, trazendo a esperança de dias melhores ao novo ano que se inicia” | Foto: Divulgação/Iges-DF

Davi nasceu no Hospital Regional de Brazlândia nos primeiros minutos desta sexta (1º); Ravi, à 1h49, no Hospital Regional de Santa Maria

Passam bem e estão em família os dois primeiros bebês de 2021 registrados na rede pública do DF. Quem chegou aos primeiros minutos desta sexta-feira (1º) foi Davi Lucca, que nasceu à 0h18 no Hospital Regional de Brazlândia (HRBz). Com 40 semanas e cinco dias de gestação, Davi representa para a mãe, Rosana Gonçalves, de 28 anos, o maior presente deste ano-novo.

“Comecei a sentir as contrações pela manhã e cheguei a ir para o hospital, mas ainda não tinha dilatação, então voltei para casa”, conta ela, que já teve duas gestações interrompidas. “Por volta das 17h, entrei definitivamente em trabalho de parto e retornei ao HRBz, dali já fiquei em observação, fui internada e conduzida para a cirurgia”.

Rosana Gonçalves com Davi Lucca: O que eu mais queria é o meu filho, e agora ele está aqui” | Foto: Acervo pessoal

Moradora de Brazlândia, Rosana fez todos os exames da temporada pré-natal e foi acompanhada durante a gestação pela equipe de Saúde da Família da UBS 1 da cidade. O nascimento de Davi pode ser considerado como um presente antecipado de aniversário: no domingo (3), ela completa mais um ano de vida. No momento, mãe e filho aguardam o término do período de observação para irem para casa. “Agora é só bênção para este ano”, diz Rosana. “O que eu mais queria é o meu filho, e agora ele está aqui”.

Em Santa Maria

A mãe, Jeisy, com o pequeno Ravi: “Estou feliz que ele tenha vindo dessa forma, trazendo a esperança de dias melhores ao novo ano que se inicia” | Foto: Divulgação/Iges-DF

A mesma alegria foi experimentada no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), onde, ainda nesta sexta-feira, à 1h49 nasceu Ravi Garreto Pinheiro. Saudável, com idade gestacional de 34 semanas e três dias, ele pesa 2,460 kg e mede 44 cm de comprimento. Nascido de parto normal, ele é o terceiro filho da dona de casa Jeisy Silva Garreto Pinheiro, de 33 anos. Em 2020, foram 4.027 partos no HRSM.

De acordo com a mãe, as dores começaram por volta das 21h de quinta-feira (31/12), se intensificaram perto das 23h. Por volta da 0h30 do primeiro dia deste ano, Jeisy foi encaminhada ao hospital.

“Para mim foi uma surpresa dar à luz o Ravi na virada de ano; não estava esperando isso”, comentou Jeisy. “Estou feliz que ele tenha vindo dessa forma, trazendo a esperança de dias melhores ao novo ano que se inicia.”

Cuidados

A chefe do serviço de neonatologia do HRSM, Cíntia Sant Ana Cardoso, lembra que o cuidado com o recém-nascido começa desde o pré-natal. “Ao descobrir a gestação, a mãe deve fazer todas as consultas corretamente, fazer todos os exames, e ela tem o direito de visitar a maternidade onde vai ter o bebê”, explica a pediatra. “Ao nascer no HRSM, o bebê já faz alguns testes de triagem para saber como será a sua evolução. Passa pelos testes do pezinho, do olhinho, do coraçãozinho, da linguinha e aprende a mamar.”

Menino solar

O nome Ravi, em sânscrito, que significa “o Sol”. Segundo os Vedas, textos das escrituras sagradas do hinduísmo, Ravi é um dos 12 filhos de Aditi, a deusa-mãe, considerada como o espaço cósmico. O nome começou a ganhar popularidade no Ocidente nos anos 1960, por causa do músico indiano Ravi Shankar, de grande popularidade.

Com informações do Iges-DF e da Secretaria de Saúde (SES)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui