Mortes em vias urbanas caem quase 50% em 2020, diz Detran-DF

Segundo a autarquia, ano passado 53 pessoas perderam a vida no trânsito contra 96 em 2019; o DF também atingiu a meta estabelecida pela ONU de reduzir em 50% as mortes no trânsito entre 2011 e 2020

Por Cláudio Ulhoa

As mortes no trânsito caíram no Distrito Federal em 2020. A redução, segundo o Departamento de Trânsito do DF (Detran), foi de 45%, o que resultou em 53 vítimas ante as 96 de 2019. Também houve redução de 35% (caiu de 274, em 2019, para 177 mortes em 2020), de acordo com levantamento da Gerência de Estatística, no número total de óbitos ocorridos em todo o DF, sejam vias urbanas, rodovias distritais ou federais.

A redução coloca o DF entre as unidades da federação que conseguiram corresponder à meta estipulada pela Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir as mortes em acidentes de trânsito em 50% entre os anos de 2011 e 2020. Agora, o próximo passo do Detran-DF, deve ser atingir a nova meta, também proposta pela ONU, de reduzir as mortes no trânsito em mais 50% entre 2021 e 2030.

“Enquanto o mundo estava limitado pelas restrições impostas pela pandemia de Covid-19, o Detran não se furtou de sua missão institucional e manteve as ações de fiscalização, engenharia e educação de trânsito de forma ininterrupta. Aproveitamos o momento de crise para nos reinventar e atuar de maneira inovadora, tanto de forma isolada quanto em ações conjuntas com as demais forças de segurança, a fim de preservar vidas”, afirma o diretor-adjunto do Detran-DF, Gustavo Amaral.

Ações

Para atingir reduzir a violência no trânsito os agentes do Detran-DF empregaram duas medidas essenciais: fiscalização e campanha de conscientização. No que tange às fiscalizações, os agentes intensificaram as blitzes, adotando para isso, diferentes formas de controle e abordagem de veículos. As medidas resultaram, em 2020, em 527 blitzes e 9.932 apreensão de veículos flagrados em situação de irregularidade de trânsito.

Apesar da pandemia, fluxo de veículos não teve grande redução; fiscalização, engenharia e educação de trânsito se mantiveram ativas durante todo o ano

A fiscalização segue intensa, apesar de o fluxo de veículos ter diminuído durante o início da quarentena – 19,2% menor em março, 42,1% em abril, 41,3% em maio e 32,2% em junho. Mesmo com 44% de redução no número de blitzes, em cumprimento às restrições sanitárias, os agentes adotaram estratégias diferentes de fiscalização. Ainda assim, as equipes executaram um total de 527 blitzes e recolheram ao depósito 9.932 veículos flagrados em situação de irregularidade de trânsito. Nesse sentido também foram registrados durante o ano passado, outras infrações como a falta do uso do cinto de segurança (63.866 ocorrências) e do uso do celular ao volante (38.998). Em 2019, 72.243 condutores tinham sido autuados pelo Detran pela falta do cinto de segurança e 42.680 por dirigir falando ao celular.

“Durante o ano de 2020, inovamos na forma de atuar, trocando as blitzes tradicionais por patrulhamentos em locais previamente analisados e operações com foco específico em alguns públicos, como os motociclistas, por exemplo”, ressaltou o diretor de Policiamento e Fiscalização do Detran-DF, Lúcio Lahm.

Já a conscientização da população sobre os riscos e cuidados, tanto para pedestres quanto para condutores, veio através de campanhas educativas também realizadas pelo departamento. Ao todo, as equipes de educação de trânsito empreenderam 35 ações educativas com identificação visual e bonecos, em pontos estratégicos das regiões administrativas.

“Criamos um podcast no Spotify do Detran, onde toda sexta-feira um profissional da Educação de Trânsito falava sobre temas de relevância para a segurança de pedestres, ciclistas, motociclistas e outros condutores. Vimos que a quantidade de pessoas impactadas de forma direta e indireta pelos canais digitais é imensurável, e vamos continuar com este trabalho em 2021”, lembra Marcelo Granja, diretor de Educação e Trânsito do Detran-DF.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui