Medidas restritivas adotas em março fizeram o nível de transmissão do novo coronavírus cair para 0.86, diz GDF

Índice de transmissão do novo coronavírus cai para 0.86, o que é considerado positivo pelas autoridades de saúde

O resultado é considerado como algo positivo já que, antes desta segunda onda, o nível de transmissão estava em 0.83; segunda dose para as pessoas com 66 anos não foi suspensa

Por Cláudio Ulhoa

Durante a entrevista coletiva dos representantes do Governo do Distrito Federal (GDF) para tratar sobre o combate à pandemia de covid-19, nesta quarta-feira (7/4), o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, enfatizou que o nível de transmissão do novo coronavírus caiu de 0.91 para 0.86. O resultado foi considerado pelo secretário como algo positivo, uma vez que, antes desta segunda onda, o nível de transmissão era de 0.83.

O secretário também destacou que houve redução no número de novos casos, saída de 1.388 para os atuais 904 casos. Redução também na média de casos, que desceu de 1.565 para 1.279, assim também ocorreu com a projeção de novos casos, que saiu de 14.500 para 14.100 casos. E, por fim, houve um decréscimo nos número de casos ativos que em março era de 15 mil e hoje está em 12.970.

Esses resultados, segundo Rocha, ajudam o governo a prepara uma retomada das atividades de forma mais rápida e segura. Ele disse ainda que essas reduções são efeitos das medidas restritivas adotadas em março.

Sobre as filas de espera para leitos de UTI, o secretário informou que elas irão diminuir já no próximo período. “É porque os efeitos dessa redução irão ser sentidos mais para frente. Por isso não há incongruência nenhuma e nós termos esses índices baixos e ter lista de espera nas UTIs”, afirmou.

De acordo com o secretário, o governo vai abrir até na próximo segunda (12/4) mais 84 leitos de UTI em vários hospitais públicos do DF. Além disso, há também a construção de três hospitais de campanha que juntos vão colocar em funcionamento 300 leitos de UTI e a ampliação do Hospital Regional de Samambaia que irá ter 70 leitos.

Vacinação contra covid-19 para pessoas com 66 anos está suspensa no DF

Vacinação

Outra assunto tratado na coletiva foi com relação à suspensão da vacinação de pessoas com 66 anos. Segundo explicou o secretário, a suspensão foi necessária devido à falta de vacinas. “Para continuar a vacinação nós precisamos que o Ministério da Saúde entregue as vacinas”, disse. Sobre a possibilidade do GDF comprar vacina, Rocha afirmou que “não há vacinas para venda direta aos estados”.

É importante destacar que, aquelas pessoas de 66 anos que já tomaram a primeira dose da vacina podem retornar aos postos para tomar a segunda dose.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui