Marcelo Ramos, o Repórter do Povão, morre aos 67 anos vítima de covid-19

O radialista estava no DF desde 1968, quando começou a trabalhar com jornalismo esportivo e político; deixa cinco filhos, a esposa e cinco netos

Por Redação

A covid-19 fez mais uma vítima fatal no Distrito Federal nesta quinta-feira (20). Trata-se do radialista Marcelo Ramos que morreu aos 67 anos após ter sido diagnosticado com o novo coronavírus. Nas redes sociais, a família do radialista falou sobre o assunto e agradeceu a todos pela votos e lembranças de carinho que receberam de todos que conhecia, não só o profissional, mas também o cidadão Marcelo Ramos.

“Como um pai que o senhor é e sempre será. Muitos conhecem o narrador do povão, o radialista. E apaixonaram-se pela pessoa incrível que ele é. Poucos conhecem o Marcelo Ramos pai, amigo e esposo. Mais incrível e apaixonante ainda”, disse o filho do radialista, Vicente Ramos, em publicação nas redes sociais.

Marcelo Ramos chegou no DF, por volta de 1968, desde então ficou conhecido por tratar de temas que afligia a sociedade e, principalmente, as pessoas mais pobres, por isso, ele ficou conhecido como Repórter do Povão ou Locutor do Povão.

Trabalhou com esporte e cobriu, durante anos, o Palácio do Buriti. Agora, antes de adoecer, estava trabalhando na rádio Bandeirantes, onde tinha um programa matinal, chamado O Povo e o Poder.

Desde ontem todos os veículos de comunicação do DF tem prestado homenagem a Marcelo Ramos e destacando sempre o seu comprometimento com a causa dos mais necessitados.

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Rafael Prudente (MDB), foi um dos políticos que, em suas redes sociais, prestou homenagens ao Repórter do Povão.

“Quero registrar que fui tratado com muito carinho e respeito nas dezenas de entrevistas que estivemos juntos. MARCELO RAMOS, um comunicador de coração com jeito simples, honesto e muito competente. Ele deixará saudades, mas também muitas lições”, disse Prudente.

Ele ainda falou da postura do radialista diante das injustiças sociais. “Era o elo do povo com o poder, denunciando os erros e buscando as soluções levando as demandas de seus ouvintes para as autoridades. Foi e sempre será o verdadeiro REPÓRTER DO POVÃO”, destacou o presidente da CLDF.

Marcelo deixa cinco filhos, a esposa e cinco netos. O enterro será no Distrito Federal, entretanto, segundo a família, não haverá velório.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui