Lei que prorroga por mais três meses o auxílio financeiro a taxistas e motoristas do transporte escolar no DF é sancionada

Auxílio financeiro para mais de 4,5 mil taxistas e motoristas de escolar

O governador Ibaneis Rocha assinou a extensão do prazo nesta manhã (27) e evento no Palácio do Buriti

Por Cláudio Ulhoa

Os taxistas, motoristas do transporte escolar e de turismo, que são inscritos Cadastro de Permissionários/Concessionários da Secretaria de Estado de Transporte e Mobilidade (Semob), com data anterior a 31 de janeiro de 2020, vão começar a receber mais três parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial oferecido pelo Governo do Distrito Federal (GDF). Isso porque o governador Ibaneis Rocha (MDB) sancionou, nesta manhã (27/4), a lei nº 1.862/21, que permite a prorrogação do auxílio.

“São R$ 1.800. Pode não ser muito dinheiro para muitas pessoas, mas para quem está nas ruas trabalhando, quem não consegue mais pegar os passageiros há um ano antes da pandemia, sabemos do significado desse valor. Tenho certeza que hoje, o GDF e a Câmara Legislativa do Distrito Federal, estão entregando um auxílio merecido”, disse Ibaneis durante a sanção da lei, em evento no Palácio do Buriti.

Ao todo, deverão ser beneficiados 4,5 mil taxistas e motoristas de transporte escolar. Se comparado com a primeira fase do benefício, quando 3,2 mil motoristas foram atendidos, houve, agora, aumento no número de beneficiados. O custo desse auxílio irá custar aos cofres públicos cerca de R$ 10 milhões.

“Os recursos que vocês vão receber serão consumidos na mercearia, na farmácia, no açougue e na manutenção do carro. Então, é um bom dia não só para os taxistas e motoristas de transporte escolar, mas para pequenas e grandes empresas que também serão beneficiadas”, salientou o secretário de Economia, André Clemente.

Além de ser inscrito no Cadastro de Permissionários/Concessionários da Semob, os motoristas precisam também estar regularmente registrado, na mesma data, no Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) na categoria referente à atuação, além de não estar inscrito na dívida ativa do DF.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui