Ibaneis sanciona lei que permite uso do tempo de estágio como contagem de pontos em concursos e processos seletivos

Lei vale para concursos públicos e processos seletivos nas áreas da saúde do DF

A lei é voltada aos estagiários que atuam na área da saúde, seja no âmbito público ou privado; a unidade de saúde que oferecer o estágio terá que fornecer certificado contendo carga horária, número de meses trabalhados, atividades realizadas e desempenho do estudante

Por Redação

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), sancionou a lei nº 6.690 que permite o estagiário em serviço da área de saúde utilizar o tempo do estágio – tenha ele ocorrido na rede pública ou privada – para contribuir na contagem de pontos em concursos públicos e processos eletivos do DF.

De acordo com o Governo do DF (GDF), a medida deve beneficiar diretamente 14.870 estagiários que atuam na rede de saúde pública. O governo explica ainda que a lei deve contribuir também o ingresso dos estagiários no mercado de trabalho, uma vez que a experiência agora poderá ser comprovada através de certificados oferecidos pelo próprio GDF.

“Para receber o certificado que vai comprovar as atividades desenvolvidas, o estagiário precisa estar regularmente matriculado e com frequência efetiva em curso de ensino médio ou superior da rede pública, ou particular da capital”, informa o governo.

O gerente de educação em saúde da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), Ysday Custódio, falou sobre as vantagens da lei sancionada. Segundo Custódio, o governo deu um passo no sentido de garantir melhores condições ao jovens aprendizes em seu primeiro emprego.

“É uma necessidade deles, para que conquistem o primeiro emprego ao sair da faculdade, e também social, para que haja cada vez mais profissionais atendendo a população”, diz Custódio.

Lei sancionada pelo governador Ibaneis Rocha beneficia quase 15 mil estagiários da rede pública de saúde do DF

No comprovante que a unidade de saúde terá de emitir comprovando a experiência por meio de estágio, terá que haver também a descrição da carga horária total da estágio, número de meses trabalhados, atividades realizadas e desempenho do estudante.

“É obrigação da unidade de saúde emitir o documento, mas é importante que o interessado também cobre. Se deixar só para quando precisar, pode ser que tenha dificuldade ou não consiga a declaração”, lembra o gerente da educação em saúde da SES-DF.

O mercado de trabalho ganha profissionais mais qualificados, quando há incentivo à prática do estágio. Quem comunga deste pensamento é a gerente de enfermagem do Hospital de Base (HB), Thaís Ribeiro, que defende o estágio como a primeira forma de ingresso no ambiente profissional. “É essencial para que ele identifique qual área gostaria de seguir, atuando ainda melhor. Também é no estágio que o aluno descobre as mais diversas áreas da profissão, que às vezes, na faculdade, não tem a oportunidade de experimentar”, avalia.

A regulamentação da medida, segundo o governo, deve sair no próximo mês.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui