Ibaneis Rocha reúne com secretariado para traçar estratégias de retomada da economia com obras e geração de emprego

Ibaneis reuniu secretariado por mais de 4 horas para cobrar retorno de ações de governo

O governador lembrou que o momento é de recomeço e que a saída para estagnação econômica no pós-pandemia deve ser através de implantação de política públicas que visem à melhoria de vida da população e, ao mesmo tempo, gere renda e emprego

Por Redação

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) se reuniu nesta quinta-feira (10) com todos os seus secretários de governo e também com presidentes e diretores de empresas e autarquias públicas. O objetivo do encontro foi de fazer um balanço do período vivido durante os primeiros meses da pandemia de covid-19 e preparar e alinhar o governo para o período pós-pandemia. Como quase todo estado, o DF não foi diferente, a doença causou preocupação nas autoridades e na população, mas agora começa a apresentar certo alívio em relação ao número de casos e mortes pela doença. O vice-governador, Paco Britto, também participou da reunião.

A reunião de ontem foi o primeiro passo do governo no sentido de retomar as atividades que foram paralisadas em razão das medidas de segurança adotadas para conter a doença,e também para reformular novas políticas públicas que venham amenizar os efeitos da pandemia no âmbito social e econômico.

“O momento é de união de todo o grupo. Vamos afinar o último quadrimestre e mostrar o que foi feito durante a pandemia e em todo 2020, como também ajustar nosso 2021”, disse Ibaneis Rocha, que participou da reunião via videoconferência, já que ele se encontra trabalhando em casa por ter testado positivo para covid-19.

GDF deve investir R$ 99,7 milhões em obras de infraestrutura urbana para gerar pelo menos mais dois mil empregos

Entre os assuntos discutidos esteve a situação do sistema público de saúde do DF que, segundo Ibaneis, teve um papel decisivo na queda da doença na capital federal, como também em relação à letalidade da covid-19 no estado, que é a terceira mais baixa do país. “Vamos manter nossos investimentos e ações. Não chegamos a esse ponto de graça. Foi com muito trabalho. A saúde trabalhou bastante para não faltar leitos”, destacou o governador.

Economia

A saída para a crise econômica que se instalou no país devido à pandemia deve fazer com que o Produto Interno Bruto (PIB) do país caia entre 4% e 5%. Isso vai obrigar os governos estaduais e municipais a investirem seus recursos em ações que visem o fomento de economia, com a geração de emprego e renda. No DF, o secretário de Economia, André Clemente, que esteve na reunião, disse que até o momento já foram empenhados R$ 28 milhões de um total de R$ 43 milhões – montante que será cumprido.

Em outra frente, no que tange à redução de tributos, por causa da recessão econômica, o GDF interveio e, por meio da pasta de Economia, adotou uma série de ações para facilitar a cobrança de tributos e, com isso, tentar baixar o nível de inadimplência que costuma ser alto em momento de crise como o atual. Uma das medidas da pasta nesse sentido foi a decisão Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que permitiu o governo local a reter o imposto de renda de todas as empresas prestadoras de serviço, com estimativa de arrecadação anual de R$ 200 milhões.

O governo também diminuiu o número de parcelas do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbano (IPTU) de seis para quatro.

Além disso, a pasta do secretário André Clemente ressalta ainda que deve ser investido nos próximos meses cerca de R$ 99,7 milhões em obras de infraestrutura urbana que devem gerar pelo menos mais dois mil empregos.

Por fim, o GDF diz que vai apoiar a implantação de 14 grandes empresas que devem se instalar no próximo período no DF, com expectativa de geração de receita e investimentos, além de criar 15 mil, aproximadamente.

Veja, a seguir, uma lista, elaborada pelo GDF, de algumas obras em andamento levadas à pauta na reunião desta quinta-feira:

⇒ Pavimentação asfáltica na VC-461, que liga a DF-285 ao Núcleo Rural Jardim II, no Paranoá, na última fase da obra;

⇒ Fase final de pavimentação de duas faixas de rolamento de 13,5 quilômetros no trecho que acaba no entroncamento da rodovia DF-285 com a DF-100;

⇒ Alargamento da DF-001 (trecho Estrutural/Brazlândia);

⇒ Pavimentação da ciclovia no Trevo de Triagem Norte;

⇒ Viaduto do Torto;

⇒ Obras de urbanização da Rua 8 de Vicente Pires e da avenida W9 do Noroeste;

⇒ Duplicação da Avenida Hípica Hall;

⇒ Paisagismo da Avenida dos Pioneiros no Gama;

⇒ Pavimentação na QL 14 e na QL 28 do Lago Sul;

⇒ Recuperação asfáltica da Epig;

⇒ Museu de Arte de Brasília;

⇒ Tesourinhas;

⇒ Viadutos do Eixo Rodoviário;

⇒ Obras em quatro feiras: Candângolandia, Gama, Riacho Fundo e São Sebastião;

⇒ Iluminação da Rota do Cavalo;

⇒ Adequação da Central de Atendimento a Pessoas com Deficiência na estação do metrô da 112 sul para reabertura dos atendimentos presenciais;

⇒ Reforma da Casa da Mulher Brasileira;

⇒ Subestação de energia do Polo JK;

⇒ Obras de drenagem e pavimentação no Polo JK;

⇒ Obras de infraestrutura na Setor de Múltiplas Atividades do Gama;

⇒ Obras de saneamento e pavimentação da ADE de Ceilândia;

⇒ Sistema de irrigação em áreas rurais: Santos Dumont, Vargem Bonita e Rodeador;

⇒ Estações do metrô da 106 e 110 Sul;

⇒ Obras da terceira etapa do programa habitacional do Riacho Fundo II;

⇒ Construção da UBS do Riacho Fundo II;

⇒ Obras de revitalização da W3 Sul.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui