Ibaneis nomeia 337 professores para diversas áreas do ensino regular e profissional

Após a prorrogação de concursos, governador Ibaneis já convocou 3.337 profissionais para reforçar a educação pública

Com essas nomeações o governo atinge a marca de 3.337 profissionais contratados durante a atual gestão para reforço da educação pública

Por Cláudio Ulhoa

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), nomeou, nesta terça-feira (16/11), 337 professores de diversas áreas e concluiu a meta de ter convocado, somente em sua gestão, mais de 3 mil servidores para a educação. A nomeação ocorreu em evento nesta manhã no Palácio do Buriti e contou com a presença da secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

Com a atual nomeação, a Secretaria de Educação informa que o cadastro reserva para professores foi zerado. Ainda conforme a pasta, os novos professores irão atuar em salas de aulas reformadas – o governo fez algum tipo de reparo em todas as unidades do DF –, e vão ter direito ao plano de saúde que saiu do papel pelas mãos da atual gestão, além de receberem a terceira parcela do reajuste a partir de abril do ano que vem.

“Trabalhem agora com muito amor pela Secretaria de Educação. Digo sempre que ser professor é um ofício de coração, falo isso porque meu pai morreu professor. Às vezes eu perguntava a ele o porquê de tanta dedicação, porque todo dia ele chegava fazendo suas planilhas e suas aulas, e ele dizia que era exatamente por isso: por amor”, pediu Ibaneis.

Os nomeados irão atuar nas disciplinas do ensino regular – como biologia, ciências naturais, filosofia, física, geografia, história, espanhol, francês, inglês, química, sociologia e língua portuguesa –, mas também há professores para áreas técnicas, como administração, farmácia, fisioterapia, nutrição e odontologia.

A nomeação, segundo o governo, só foi possível em razão da suspensão da lei que proibia o Executivo local de realizar concurso em respeito ao teto de gastos públicos. É o que ressaltou o secretário de Economia, também presente no evento desta manhã, ao dizer que o governo Ibaneis recebeu um orçamento de R$ 40 bilhões e que ainda atualmente tem em caixa mais de R$ 47 bilhões. “Cresceu mais de R$ 7 bilhões por vários fatores, por operação de crédito, recuperação de empresas, aumento de arrecadação. A receita cresce e temos mais margem para contratar pessoal. Estamos recompondo as forças de trabalho, que estavam defasadas e deficitárias, e dentro disso, a educação é prioridade no nosso governo”, explicou Clemente.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista membro da Associação Brasileira de Portais de Notícias – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui