Ibaneis fala que pode voltar a suspender atividades comerciais no DF se população não respeitar as normas de segurança

Ibaneis não descartar possibilidade de rever abertura do comércio e das atividades sociais casos população não respeite as normas de segurança contra a covid-19

O governador falou que cabe a ele cuidar da saúde pública e não pessoal; ‘Consigo ofertar atendimento a saúde, mas a vida, depende de cada um’

Por Redação

Após ganhar na Justiça o poder de decidir sobre a regulamentação do comércio no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha (MDB) disse que as atividades podem voltar a ser suspensas caso a população não se conscientiza sobre a necessidade de manter o isolamento social, quando possível, e de evitar aglomerações. A fala de Ibaneis foi pronunciada hoje em um programa na TV Record. “Não tenho problema em usar a caneta e fechar tudo de novo.”

A opinião do governador é um alerta não só para as regiões administrativas cuja incidência de casos e mortes é alta, mas para todo o DF. Segundo Ibaneis, sua gestão tem preocupado com a saúde pública, porém, a saúde particular de cada cidadão é de responsabilidade pessoal. “Consigo ofertar atendimento a saúde, mas a vida, depende de cada um”, pontou o Ibaneis.

Ao falar sobre o aumento do número de doentes e de mortes – até o último boletim, o DF tinha 72.284 casos e 851 mortes – o governador disse que a elevação era esperada. De acordo com ele, a equipe técnica do governo já aguardava por esse momento e também os pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB).

“Nossos estudos e os da UnB já previam o pico entre 10 e 25 de julho. Em agosto, devemos estar livres do quadro grave da doença. Mas livre do vírus, não”, salientou.

As expectativas do governador é que em agosto cerca de 30% e 35% da população já pode ter sido infectada por coronavírus no DF. Isso, por mais trágico que possa parecer, é importante porque possibilita o que os pesquisadores chamam de “imunidade de rebanho”, quando grande parte da população se contamina e ficaria imune ao novo coronavírus. “Para que tenhamos uma liberdade maior, teríamos que ter 70% da população infectada”, disse Ibaneis ao mencionar que o retorno ao estado normal de funcionamento das atividades sociais está longe de acontecer. “Por isso faço um apelo: quem puder, fique em casa. Se for sair, use máscara, higienize as mãos.”

Governador disse que pico da doença já era esperado para julho

A fala de Ibaneis acontece um dia antes da volta do funcionamento de bares e restaurantes, que retomam as atividades amanhã (15). Nos ambientes não será permitida a aglomeração de pessoas e nem apresentação de música ao vivo.

Retomada

Entre um assunto e outro, Ibaneis deu atenção ao momento pós-pandemia, onde ele afirma que será um período tão complicado quanto o atual. Para o governador, que já disse isso em inúmeras vez, as consequências que vão advir da pandemia de covid-19 não são só no campo da saúde, mas também da economia. Com forma concreta desse período futuro, Ibaneis chama a atenção para o desemprego.

“Agora, estamos enfrentando a crise da saúde. Na sequência, vem a crise do desemprego e será difícil retomar”, disse o governador. E ele ainda lembrou que a crise que econômica que deve vir no próximo período não será local, mas sim nacional. “Um PIB negativo de 6% é um desastre na vida das pessoas”, avalia.

Entre os planos do GDF para combater o desemprego está o investimento de R$ 300 milhões em obras públicas. Esse dinheiro deve gerar empregos no DF para tentar sanar o número de desempregado que no mês de maio chegou a 333 mil pessoas. Entre as obras que devem começar nos próximos meses construção de viadutos, reformas de tesourinhas, da Estrutural, onde todo o asfalto será substituído por pavimento de concreto.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui