Ibaneis fala em liberar uso de máscaras a partir da primeira quinzena de novembro

Ibaneis quer liberar máscaras na primeira quinzena de novembro

Está foi a primeira vez que o governador estipulou data para a liberação do uso do equipamento que ainda está em voga nas cidades brasileiras

Por Cláudio Ulhoa

Durante a inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS), na Vila Buritizinho, em Sobradinho II, nesta manhã (25/10), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse que estuda desobrigar o uso de máscara em ambientes abertos da capital federal. De acordo com governador, a medida deverá começar a valer a partir da primeira quinzena de novembro, porém, ele ressaltou que, para lugares fechados, ainda continuará a valer o uso obrigatório de máscaras para prevenir contra a contaminação do novo coronavírus.

“Sabemos que estamos avançando em relação aos índices de transmissão, que estão caindo bastante. Isso já nos dá horizonte no sentido de liberar o uso de máscaras pelo menos em ambiente aberto”, afirmou Ibaneis.

Ainda segundo o mandatário, ao uso do equipamento de segurança em lugares fechados só deverá ser liberado assim que a população estiver 70% vacinada. Além disso, ele também disse que esse será o mesmo procedimento a ser adotado nas escolas públicas, que também retornaram às aulas presenciais, com 1005 dos alunos, a partir do momento a vacinação atingir 70%.

“Estamos tentando voltar à normalidade o mais rápido possível, mas não podemos prever a data de forma segura. Mais adiante, quando atingirmos em torno de 70% ou 80% de pessoas vacinadas, tudo isso pensado em base técnicas, poderemos considerar a retirada de máscaras em ambientes fechados”, observou o governador.

A expectativa do governo local é que as aulas presenciais já retornem no próximo dia 3 de novembro, o que deve acontecer mesmo que muitos estudantes ainda não estejam completamente imunizados com a segunda dose da vacina contra covid-19.

“Eu já conversei muito com o pessoal da área técnica e da secretaria de educação e temos total condição de voltar com a educação em tempo integral. Essas crianças já vão semana sim e semana não, queremos normalizar”, assegurou Ibaneis.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista membro da Associação Brasileira de Portais de Notícias – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui