Governo federal deve colocar em prática o programa Pró-Brasil para retomar crescimento econômico e gerar emprego

Pró-Brasil, programa de desenvolvimento econômico do governo federal, sairá do papel

O programa foi apresentado em abril deste ano pela Casa Civil, mas não teve apoio do governo na ocasião; na prática, haverá investimento público em obras de infraestrutura e concessões ao setor privado, com investimentos que podem chegar até R$ 250 bilhões

Por Redação

Diversos especialistas, tanto a favor quanto contra o governo federal, acreditam que é chegada a hora do Estado intervir e injetar dinheiro no país através de obras de infraestrutura para alavancar o desenvolvimento econômico que se encontra estagnado em razão da pandemia de covid-19. Para isso, logo no início dos primeiros casos e mortes de covid-19 no país, os ministros da Casa Civil, Braga Netto, e da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, elaboraram e anunciaram o programa Pró-Brasil para fomentar a realização de obras de infraestrutura urbana em todo o país.

Mas o projeto ficou no papel, por resistência do ministro da Economia, Paulo Guedes, que na época alegou a inviabilidade do programa por falta de recurso. Quando lançado, o Pró-Brasil teria investimentos públicos de R$ 30 bilhões e contratos de concessões à iniciativa privada de R$ 250 bilhões. A posição de Guedes de não financiar o projeto, foi alegada com a justificativa de que se tratava de um novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) lançados nos governos petistas.

Mas, informações de bastidores e divulgadas hoje pela imprensa, mostra que há sinal verde do governo para se prosseguir com o programa. O governo ainda não sabe ao certo que será o valor investido e quais serão as obras contempladas, mas que já se estuda sobre o assunto.

“A perspectiva é de que seja lançado, oficialmente, na próxima semana, com a participação de toda a cúpula do governo, inclusive do presidente da República, Jair Bolsonaro”, diz matéria publicada na imprensa nesta quinta-feira, 20.

Com o lançamento de um programa desenvolvimentista e com o aumento do valor do Bolsa Família – que deve ser transformado em Renda Brasil – pode possibilitar com que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) comece a intervir na economia no sentido de ajudar a voltar a crescer.

Além disso, obras que estão paradas ou que ainda nem saíram do papel, podem ser executadas já nos próximos meses, com o lançamento do Pró-Brasil. Isso gerará emprego e renda que, por consequência, pode fazer a economia reaquecer novamente.

O programa

O Pró-Brasil foi apresentado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, durante a coletiva de imprensa no dia 22 de abril. Com o intuito de reduzir os impactos do coronavírus nas áreas social e econômica com foco no período pós-pandemia, o programa foi idealizado sobre ações que busquem o restabelecimento do bem-estar da sociedade brasileira.

O programa se divide em cinco temas: infraestrutura; desenvolvimento produtivo; capital humano; inovação e tecnologia; e legislação e controle

O Pró-Brasil foi divido em dois eixos, intitulados de ordem e progresso. O primeiro, o ordem, visa atrair atração de investimentos privados; maior segurança jurídica e produtividade; melhoria do ambiente de negócios; e mitigação dos impactos socioeconômicos. E o segundo, o progresso, é voltado à realização de obras públicas e de parcerias com o setor privado.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui