Gestores da saúde frisam importância do isolamento social contra a Covid-19

Rede pública está preparada para atender casos, porém, é preciso apoio da população para evitar aumento exagerado de casos

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (15), o secretário de Saúde, Francisco Araújo disse que a rede pública está preparada para todo o atendimento necessário à pandemia de coronavírus. Há leitos de retaguarda, os testes de Covid 19 estão sendo realizados nos pacientes que têm necessidade de fazê-lo e os resultados estão sendo entregues no mesmo dia. Também foi destaque a nomeação de 413 profissionais de saúde, a maioria médicos.

Apesar de tudo estar sob controle, o pedido dos gestores da saúde é que a população colabore ficando em casa, principalmente com a chegada do pico da doença, prevista para os próximos dias. “Vínhamos mantendo um índice de 61% de distanciamento e percebemos, nestes dois últimos dias, uma queda para 55%. O ideal é que a gente consiga manter em 70%”, alerta o subsecretário de Vigilância em Saúde, Eduardo Hage.

Ele diz que cumprir o distanciamento e o isolamento social é de extrema importância para que o número de casos não cresçam em ritmo acelerado. “Tenho certeza que ninguém vai querer enterrar um parente ou ver centenas de pessoas precisando de internação por causa da doença”, frisou.

LEITOS – O número de leitos disponíveis para atendimento de pacientes com Covid-19 está dentro do planejado para este momento.

Segundo Francisco Araújo, atualmente, 26 leitos estão ocupados e outros 79 estão disponíveis para casos de Covid-19, na rede pública e privada.

Há 26 leitos no Hospital Regional de Santa Maria, três no Hospital Regional da Asa Norte, 10 no Hospital da Criança, cinco no Hospital Universitário e 10 no Hospital Daher, além de outros 30 que serão disponibilizados pelo ICDF a partir da próxima segunda-feira (20).

“Dos 26 leitos de Santa Maria, 10 são de UTI com suporte ventilatório. Também temos seis com suporte dialítico, de acordo com o cenário que temos, da necessidade de 30% de leitos com esse tipo de suporte”, diz o diretor do Instituto de Gestão Estratégia de Saúde (IgesDF), Sérgio Costa.

Sobre a abertura de novos leitos, como os do hospital de campanha que está sendo montado no Estádio Nacional Mané Garrincha, Francisco Araújo ressalta que tudo está sendo feito dentro do planejado. “Serão 200 leitos de retaguarda. A empresa já iniciou os trabalhos, mas não se constrói isso da noite para o dia. Os trabalhos estão acelerados, mas ressalto que, até o momento, não há necessidade de utilização da Arena”, frisa o secretário.

Atualmente existem 240 leitos de retaguarda no HRAN que é o principal hospital de referência.

TESTES – Segundo Francisco Araújo, até agora, foram testadas 15 mil pessoas no Distrito Federal, tanto no Lacen quanto nos laboratórios privados. “Na semana passada, empenhamos 450 mil testes. Uma parte foi entregue e a outra estamos aguardando que as empresas disponibilizem”, pondera.

De acordo com o secretário adjunto de Assistência, Ricardo Tavares, só são testadas as pessoas que realmente necessitam. “Temos protocolos para isso. Não adianta, por exemplo, uma pessoa chegar com pouco tempo de sintomas e querer ser testado, pois poderá ter um falso positivo ou um falso negativo”, explica.

VALORIZAÇÃO – Durante a entrevista coletiva, o secretário de Saúde, Francisco Araújo, agradeceu aos profissionais de saúde pelo empenho nos trabalhos e estendeu os agradecimentos a todo o secretariado e governador do DF. “Em nome dos secretários de Segurança, Economia e da Casa Civil, agradeço a todos do governo pelo empenho nos trabalhos de combate a essa pandemia”, frisou.

Informações da Agência Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui