Gestão Ibaneis Rocha quer iluminar todo o DF com lâmpadas LED até o final de 2022

As lâmpadas de LED são fabricadas com uma estrutura 95% reciclável, o que torna o descarte muito mais fácil em relação às tradicionais

A ação já começou, mas o projeto para se tornar efetivo precisará de financiamento bancário ou apoio do setor privado; economia dos cofres públicos com iluminação pública pode chegar a R$ 90 milhões/ano

Por Redação

Se o projeto da gestão do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), der certo, toda iluminação pública das regiões administrativas (RAs) que formam o DF será feita por lâmpadas de LED. A ideia é fazer com que o projeto seja concluído até o final da gestão, e todo serviço de implantação nos novos equipamentos será feita pela Companhia de Energética de Brasília (CEB).

O governo já iniciou a troca de lâmpadas convencionais por LED no trajeto que liga o Plano Piloto a Taguatinga; também houve trocas em Samambaia, Guará e em Santa Maria.

A expectativa do governo com as trocas são, em primeiro plano, reduzir os custos do com a taxa de iluminação de vias e ruas. Depois, contribuir para o meio ambiente, já que as lâmpadas de LED, diferentes da convencionais, além de iluminar mais, também são mais sustentáveis, ou seja, as lâmpadas de LED são fabricadas com uma estrutura 95% reciclável, o que torna o descarte muito mais fácil em relação às tradicionais.

O custo gerado pelo uso de lâmpadas tradicionais é outro problema que fez com que o poder público optasse pela troca. Segundo o Governo do DF (GDF), desde 2019 foram investidos mais de R$ 17 milhões com iluminação pública e 18.704 luminárias de LED foram instaladas em mais de 80 endereços em todo o DF.

“No ano passado, foram gastos R$ 181 milhões com iluminação pública, além de R$ 16 milhões apenas para manter lâmpadas acesas, totalizando R$ 197 milhões. Por outro lado, foram arrecadados R$ 212 milhões. Esses R$ 15 milhões de sobra foram investidos na iluminação pública pela CEB”, informa o governo.

Para conseguir executar a meta de implantação do novo modelo de iluminação pública, a CEB estuda dois tipos de financiamento. Um será por meio de empréstimos junto ao Banco de Desenvolvimento do Brics – um projeto para busca de financiamento já foi apresentado ao banco – e a outra forma será através de empresas privadas que possam ter interesses em executar o projeto em parceria com a CEB.

A economia anual prevista pela CEB após a implantação das lâmpadas em todo o DF será de R$ 90 milhões, um retorno que viria rápido para a companhia e a população, o que poderá resultar em investimentos em novas frentes.

Além de toda economia e da baixa poluição ambiental, as lâmpadas de LED devem também dar mais segurança ao cidadão. Conforme explica o subsecretário de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF), coronel Marcio Cavalcante de Vasconcelos, só o fato de haver iluminação em um local, além de causar sensação de segurança, na prática, evita a ocorrência de crimes.

“E não é só visualmente, gera a sensação de pertencimento de que aquele local é ocupado. É uma prevenção indireta e essa troca é um gol de letra. A gente sabe que a lâmpada de LED tem acendimento imediato e é mais econômica para o Estado”, explica Vasconcelos.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui