Gestão e inovação têm feito do BRB um dos bancos que mais cresce no país

Presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, diz que o objetivo do banco atualmente é de atingir um novo patamar de crescimento e de expansão digital Foto:Ana Rayssa

O BRB entrou em outras searas e está se fortalecendo digitalmente; os investimentos tem feito com que o banco tenha lucros consecutivos

Por Cláudio Ulhoa

Se seguirmos os passos do Banco de Brasília (BRB) desde o início de 2019, veremos uma evolução no sentido de fazer o principal banco do Centro-Oeste do país, uma institucional de abrangência nacional. Através de modernização e diversificação de serviços, ampliação da cartela de clientes, e uma gestão capacitada para as mudanças que o segmento bancário vive no atual momento.

Nos últimos anos, esses investimentos feitos pelo banco geraram resultados positivos e superaram as expectativas de crescimento estipuladas pelo próprio BRB. No primeiro semestre deste ano, por exemplo, o banco alcançou lucro líquido recorrente de R$ 205,5 milhões, um crescimento de 27,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

E esse crescimento parece continuar, conforme mostra o balanço da instituição referente a julho, agosto e setembro do ano passado, quando o banco registrou lucro líquido recorrente de R$ 113,5 milhões no 3° trimestre de 2020 – um crescimento de 15,8% a mais em relação ao 2° trimestre deste ano.

Em julho do ano passado, o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, em entrevista à Agência Brasília, anunciava que sua gestão seria feita através de ações e medidas que faça do banco um agente importante no desenvolvimento econômico, social e humano do Distrito Federal.

“A ideia é que, nos dois primeiros anos, fortaleçamos nossa relação com clientes e o nosso posicionamento no DF. Nos dois anos seguintes, vamos fazer esse movimento de expansão”, explicou Costa, na época.

2021 será o ano que o BRB se tornará 100% digital

Se antes o BRB aparecia nas matérias de investigação policial – em janeiro do ano passado, foi deflagrada a Operação CircusMaximus, da Polícia Federal, que prendeu o então presidente do banco, Vasco Cunha Gonçalves – a meta agora é fazer do banco um dos maiores do país e da América Latina.

Para isso, duas ações serão essenciais: modernização é expansão dos serviços e clientes. “Quando se fala disso se pensa muito na presença física em outros lugares, mas a expansão também vai se dar de outras formas. Vamos lançar um banco digital, uma plataforma digital de investimento e um processo de contratação de crédito todo digital. E, quando se fala em banco digital, fala-se em crescimento nacional”, disse o presidente do BRB durante entrevista à Agência Brasília.

Gestão

Toda essa proposta ressaltada por Paulo Henrique Costa é apoiada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), a quem Costa trabalha em constante parceria. “O governador Ibaneis Rocha tem uma visão e uma clareza estratégica muito importante que está na raiz de tudo o que está acontecendo no BRB e no papel que o banco assumiu diante da nossa cidade”, afirmou o presidente do BRB, em entrevista à Agência Brasília, no mês de setembro deste ano.

Essa clareza que Costa menciona é, segundo ele, entender que o banco pode ser um instrumento propulsionador do desenvolvimento econômico, social e humano. Por isso, a gestão começou a trabalhar no sentido de fazer do BRB, um banco que cresça, se modernize, torne-se mais ágil, mas não deixe de participar do dia a dia da população e do setor produtivo.

“É fundamental trazer mais profissionais. O projeto do banco é um projeto de crescimento. Vamos crescer o volume dos nossos negócios e aumentar a nossa presença. O BRB estará em mais cidades e ocupando um território no Centro-Oeste. Essas pessoas vão nos apoiar nessa agenda de crescimento e expansão e trazer novas habilidades e experiências”, diz Costa.

Atuação

Entre os serviços de destaque do banco de janeiro de 2019 para cá, destaca-se a parceria feita com o time de futebol profissional Flamengo, que prevê a abertura de conta digital, comercialização de cartões, seguros e uma série de benefícios desenhados especialmente para os cerca de 40 milhões de torcedores do time. Outra medida foi a expansão do banco para outros estados, como a realização do acordo de cooperação técnica feita através do Consórcio Nordeste, para que o BRB passe a ser a instituição financeira preferencial dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Ainda houve o processo de digitalização pelo qual o banco passou nos últimos meses para dar comodidade aos clientes e também poder expandir os serviços além do DF. O lançamento do banco digital do BRB está programado para 2021. Os clientes já podem recorrer a aplicativos do banco – como o BRB Mobile, e o BRB Conta –, mas para ter acesso ao novo banco digital, que tem sido chamado de Banco Digital Azul, os clientes terão que esperar até o próximo ano.

“A gente já vinha trabalhando nele. Quando a negociação com o Flamengo despontou, nós mudamos a prioridade para lançar o banco digital vermelho e preto. Vai ser um banco completo, ágil, moderno, leve, com experiência diferenciada. Visamos atender clientes de todos os perfis de renda e oferecendo portfólio completo de soluções”, explica o presidente do BRB.

Durante a pandemia e covid-19, o banco teve papel importante durante ao lançar o programa Supera-DF, que injetou mais de R$ 4 bilhões na economia.

Atualmente o BRB tem 738 mil clientes, mas a expectativa para o próximo ano, com todos esses incrementos, é de que o banco atinja em 2021 a marca dos 1 milhão de clientes.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui