GDF paga parcela do Bolsa Alimentação hoje (12); lei de auxílio emergencial a motoristas de transporte escolar é sancionada por Ibaneis

O programa é destinado a alunos de baixa renda para se alimentarem durante a suspensão das aulas; famílias ainda podem se cadastrar

Por Cláudio Ulhoa

O Governo do Distrito Federal (GDF) paga nesta sexta-feira (12) o auxílio para estudantes beneficiados pela Secretaria de Educação, através do Cartão Material Escolar (CME) e inscritos no programa emergencial Bolsa Alimentação. O programa foi criado em março deste ano para garantir alimentação a estudantes de baixa renda e deve permanecer enquanto as aulas ficarem suspensas.

Cada beneficiado, segundo o governo, recebe uma quantia conforme suas necessidades. Alunos que faziam uma refeição na escola, por exemplo, receberá neste mês R$ 83,58, já quem fazia duas refeições, o valor repassado será de R$ 167,16. Cerca de 106 mil estudantes, de 70 mil famílias, estão sendo beneficiadas com o programa.

Para conferir se o repasse foi feito, basta o beneficiado acessar o aplicativo BRB CARD Pré-pago. O dinheiro do Bolsa Alimentação podem ser utilizados em mercados, atacados e padarias, entre outros estabelecimentos.

As famílias que ainda não realizaram o cadastramento no programa pode fazê-lo através das regionais de ensino. Veja mais informações sobre Bolsa Alimentação.

O GDF informou também que a quarta parcela do pagamento do Alimentação Creche, no valor de R$ 150, deve ser paga em junho, em data ainda a ser definida. Neste caso, o benefício é destinado a crianças de até 5 anos matriculadas em creches conveniadas à rede pública de ensino do Distrito Federal.

Auxílio para motoristas

O auxílio proposto pelo GDF a motoristas de transporte escolar e de turismo também deve começar a ser pago aos profissionais. Isto porque o Diário Oficial do DF, de ontem (11), trouxe a sanção do governador Ibaneis Rocha (MDB) sobre o projeto de lei – recentemente aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) – que garante por dois meses (o prazo pode ser prorrogado) o repasse de R$ 1,2 mil.

O auxílio emergencial é concedido a proprietários de ônibus, microônibus ou outros veículos do transporte escolar e de turismo que prestam serviço ao GDF

Na prática, o custo do programa só foi iniciado pelo governo, mas será de fato financiado pela CLDF, que deve destinar R$ 6 milhões de reservas do orçamento da Casa, para o custeio do auxílio que estima atender a 1.700 motoristas.

O pagamento será feito conforme os cadastros, não necessitando de requerimento. O repasse será de responsabilidade da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) e do Banco de Brasília (BRB).
Para ter direito ao auxílio o profissional precisa estar registrado na categoria específica junto ao Departamento de Trânsito (Detran-DF) desde 31 de janeiro deste ano.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui