GDF mobiliza serviços para reparar danos causados pelas intensas chuvas da noite desta terça

Após o temporal, GDF age com prontidão

Uma força-tarefa foi criada para ir às ruas na manhã desta quarta-feira; de acordo com o Corpo de Bombeiros do DF, a maioria das ocorrências estava relacionada à queda de árvores em vias públicas

Por Cláudio Ulhoa

As fortes chuvas que caíram no Distrito Federal na noite desta terça-feira (26) fizeram estragos em áreas públicas de diversas regiões administrativas. A maioria delas na região central, mas também houve estragos em Planaltina e Sol Nascente-Pôr do Sol. De acordo com o Corpo de Bombeiros do DF, a maioria das ocorrências estava relacionada à queda de árvores em vias públicas. Já o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), constatou que, na área central do DF,foi registrado 53,6 milímetros de chuva em duas horas, com rajadas de ventos de até 71 quilômetros por hora.

De acordo com os Bombeiros, foram contabilizadas 56 chamadas para casos da natureza, como queda de árvores. A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) mobilizou 500 profissionais, que foram divididos em 30 equipes. Esses profissionais atuaram na desobstrução, limpeza e recolhimento de galhos e entulhos que ficaram nas vias.

“É comum acontecerem chuvas de curta duração e forte intensidade nessa estação do ano”, disse o meteorologista do Inmet, Mamedes Melo.

Cerca de mil servidores da Novacap, Defesa Civil, CEB, Corpo de Bombeiros e SLU saem às ruas para garantir a volta da normalidade

Os ventos fortes só não fizeram maiores estragos, segundo o chefe do Departamento de Parques e Jardins da Novacap, Raimundo Silva, em razão das medidas preventivas adotadas no decorrer do ano passado. “Fizemos mais de 82 mil podas em árvores. Quando se trata de fenômeno como o de ontem, com ventos acima de 70km/h a vegetação infelizmente não resiste”, diz.

Outras medidas também foram adotadas, como, nos locais onde houve queda de árvores, as equipes fazem o corte dos galhos maiores com motosserra, para serem recolhidos, triturados e levados ao depósito da empresa onde ganham destinação como adubagem.

“Dependendo do tipo de intervenção, é um trabalho complexo. Na 704 Norte, tivemos a queda de uma da espécie Ficus sobre um carro. Essa não é uma árvore produzida ou plantada pela Novacap porque tem raízes superficiais e risco de queda mesmo quando saudável”, ressaltou Raimundo Silva.

Outro setor acionado foi o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) que precisou acionar equipes de varrição e remoção de entulho de pequeno porte. Foi o que aconteceu em Sol Nascente-Pôr do Sol, onde os funcionários do serviço limparam ruas e locais em que se acumulou lixo em razão das enxurradas. Em Planaltina, o SLU também precisou retirar lixo acumulado na região conhecida por Cachoerinha. O serviço também esteve no Guará e no Plano Piloto, com atenção especial para o Parque da Cidade, onde 50 árvores caíram.

A Companhia Energética de Brasília (CEB) também precisou acionar suas 70 equipes de pronto atendimento e manutenção para fazer reparos necessários em função da chuva. A empresa precisou fazer troca de postes caídos, reparo em cabos de transmissão de energia e troca de transformadores, além das ocorrências emergenciais que, na última tempestade, foi marcada por 340 chamadas para esse tipo de serviço.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui