GDF libera saque para beneficiários do programa DF Sem Miséria

DF Sem Miséria atende mais de 68 mil famílias em fevereiro

Programa, que foi assegurado pela gestão do governador Ibaneis, deve atender mais de 68 mil famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social

Por Cláudio Ulhoa

A Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal (Sedes-DF) iniciou nessa quinta-feira (18/2) a depositar o valor do benefício DF Sem Miséria nas contas de 68.426 famílias em situação de vulnerabilidade social. As famílias cadastradas recebem uma suplementação (que varia entre R4 20 a R$ 960) ao valor repassado pelo Bolsa Família.

No DF, segundo dados da secretaria, cerca de 162.686 pessoas estão inscritas no Cadastro Único (CadÚnico), sendo que desse total, 83.665 recebem o Bolsa Família, do governo federal, e 67.289 também têm direito ao DF Sem Miséria.

“Os programas de transferência de renda constroem oportunidades para incluir socialmente as pessoas que vivem na extrema pobreza. E o DF Sem Miséria tem sido fundamental, principalmente em meio à crise gerada pela pandemia da Covid-19, quando muitas famílias tiveram a renda diminuída e até suspensa”, defende a secretária da Sedes-DF, Mayara Noronha Rocha.

As famílias que recebem o DF Sem Miséria não ficam impossibilitados de receber o auxílio emergencial que está sendo repassado pelo governo federal neste período de pandemia de covid-19.

Para ter acesso ao benefício, as famílias precisam residir no DF, e serem inscritas no CadÚnico. É importante destacar que, após o receber os benefícios de transferência de renda, é preciso que a família apresente renda per capita inferior a R$ 140.

A manutenção do programa DF Sem Miséria, mesmo durante a pandemia, está garantida pelo decreto 10.316 baixado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) no ano passado.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui