GDF lança plano de vacinação contra a covid-19; idosos e profissionais de saúde serão os primeiros a ser vacinados

Vacinação contra covid-19 no DF começa assim que Ministério da Saúde começar a distribuição das vacinas, o que deve ocorrer em janeiro próximo

A apresentação do plano aconteceu nesta manhã (18) e foi anunciado pelo secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto; vacinação começa assim que Ministério da Saúde liberar as vacinas para as secretarias estaduais

Por Cláudio Ulhoa

O Governo do Distrito Federal (GDF) lançou nesta manhã (18) o plano de vacinação contra a covid-19 ser implantado no próximo ano. O plano foi lançado pela Secretaria de Saúde (SES-DF), durante coletiva de imprensa, que contou com a participação do secretário de Saúde, Osnei Okumoto, e demais autoridades da pasta. Segundo Okumoto, toda rede de saúde já está preparada para receber as vacinas, que deverá vir através do Ministério da Saúde (MS). O MS, por sua vez, informou nesta semana, que a compra das vacinas acontecerão assim que as mesmas tiverem seu uso aprovado no país pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Cabe agora ao DF e aos demais estados estarem elaborando seus planos para que possa então viabilizar, em cima de organizações, como será feita essa vacinação, como serão registrados todos os dados do pacientes, da farmacovigilância, de todas as questões relacionadas à vacina que será administrada aqui”, explicou Okumoto.

De acordo com a SES-DF, a rede pública de saúde já tem estruturado para receber as vacinas, uma rede de frio instalada e outra em processo de locação, além de oito redes de frio regionais. Conta também com cinco Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) e 7,8 milhões de agulhas e seringas. A estrutura para vacinação é de 169 salas de vacina, que estão distribuídas em Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), policlínicas, hospitais público, privado, militares e universitários, além de outros parceiros públicos e privados.

Segundo o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, toda rede e saúde pública está preparada para a chegada dos imunizantes

“Então, como eu disse, tudo depende da vacina, chegando a vacina e ela sendo licenciada e adentrando ao armazém do Ministério da Saúde, ele [o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello] nos garantiu em cinco dias ele consegue fazer essa logística para os estados”, salientou, durante a coletiva, a chefe do Núcleo de Redes de Frio da SES-DF, Tereza Luíza Pereira.

Tanto a vacina a ser utilizada quanto a quantidade de doses que o DF possuirá para imunizar sua população, inicialmente, serão estipuladas pelo MS.

O plano

Conforme ressaltado pela chefe do Núcleo de Redes de Frio da SES-DF, as vacinas vão chegar via MS. Depois elas serão encaminhadas para o Núcleo de Rede de Frio que as enviará para as regiões de saúde do DF que, por sua vez, ficará responsável por transportá-las às salas de vacinação e aos CRIEs.

A vacinação vai acontecer por regiões de saúde. O DF está dividido em sete regiões: Sul (Gama e Santa Maria); Central (Asa Norte, Lago Norte, Varjão, Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Asa Sul, Lago Sul); Centro-Sul (Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e II, Park Way, Candangolândia, Guará, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) e Estrutural); Norte (Planaltina, Sobradinho, Sobradinho II e Fercal); Leste (Paranoá, Itapoã, Jardim Botânico e São Sebastião); Oeste (Ceilândia e Brazlândia); e Sudoeste (Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Recanto das Emas e Samambaia).

O público a ser vacinado é o mesmo que fora estipulado pelo MS em âmbito nacional. Começa com chamada primeira fase, que vai atender os trabalhadores da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas). Em um segundo momento, entram pessoas de 60 a 74 anos. A terceira fase prevê a imunização de pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras). A quarta e última fase deve abranger professores, forças de segurança, salvamento e funcionários do sistema prisional. No DF, segundo a SES-DF, esses grupos somados chegam a 678.750 mil pessoas.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui