GDF lança curso de qualificação profissional remunerado; são três mil vagas nas áreas de construção civil e jardinagem

Sai edital para capacitar 3 mil pessoas em construção civil e jardinagem

Cada participante vai receber um salário mínimo enquanto estiver participando e assim que concluir o curso será inserido no mercado de trabalho; veja como participar

Por Redação

O Governo do Distrito Federal através de sua Secretaria do Trabalho lançou nesta segunda-feira, 16, na edição do Diário Oficial do DF, o edital de chamamento público para o Programa Qualificação Profissional e Frente de Trabalho, o Renova-DF, com o objetivo de lançar três mil vagas para capacitação de trabalhadores para os segmentos da construção civil e jardinagem. Além dos cursos serem gratuitos – serão oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) – eles serão remunerados pelo GDF, ou seja, cada participante terá uma ajuda mensal de um salário mínimo (R$ 1.045).

Os cursos estão previstos para começar em 12 de janeiro de 2021.As inscrições vão estar disponíveis na página da Secretaria de Trabalho. O tempo de duração do curso é de 30 dias, sendo que a cada mês formará uma turma com mil alunos. Assim que os alunos forem capacitados, a Secretaria vai coordenar a inserção desses profissionais no mercado de trabalho. Haverá aulas práticas e teóricas. O governo garante que essa inserção deve acontecer de forma imediata.

Para recuperar a empregabilidade, governo investe em capacitação

“A proposta da Secretaria de Trabalho é de imediata inserção desses alunos no mercado profissional. Para isso, já estão sendo estabelecidas parcerias com entidades de trabalhadores e patronais, como o Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon)”, garante o GDF.

Um dos motivos que levou o governo a investir na qualificação da mão de obra foi justamente a falta desse tipo de recurso no mercado do DF. Isso foi possível observar em razão dos dados da Agência do Trabalhador que mostrou que, em setembro, das 2.778 vagas anunciadas, somente 2.535 foram preenchidas, o restante ficou em aberto por causa da falta de mão de obra qualificada.

“A vaga, a gente tem. Os empregadores estão voltando a contratar, mas querem funcionários com o mínimo de qualificação profissional. O nosso grande desafio é preparar as pessoas para enfrentar esse mercado de trabalho de forma mais capacitada”, ressalta o secretário de Trabalho, Thales Mendes.

Para fazer tal investimento, o governo pretende gastar R$ 5 milhões para realizar as capacitações. A intenção do Executivo é de que esse recurso volte à sociedade através de obras públicas e na revitalização de espaços coletivos. “Tudo o que for aprendido será aplicado na conservação do patrimônio público da cidade, como praças, parques infantis, pontos de encontro comunitários (PECs), calçadas e paradas de ônibus”, assegura o GDF.

Outro objetivo do governo com essa proposta é o de apoiar o segmento da construção civil que começa, segundo dados da Secretaria de Trabalho, reaquecer após ficar estagnado durante os meses mais críticos da pandemia. Segundo o GDF, isso exige mais contratações, que por sua vez exige profissionais qualificados.

“É o melhor dos mundos. Promover essa qualificação é bom para a sociedade, porque abre um leque profissional, e para nós, que conseguimos contratar trabalhadores com treinamento e qualificação. É bom também para a economia da cidade, que fica aquecida com a circulação de mais renda e trabalho”, explica o diretor de políticas e relações trabalhistas do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), José Antônio Magalhães.

Veja abaixo alguns pré-requisitos para se inscrever nos cursos de capacitação:

  • Formações: carpinteiro, jardineiro, eletricista, encanador, serralheiro e pedreiro.
  • Duração mínima de 80 horas (até 20 horas semanais).
  • Haverá cadastro reserva no total de 6 mil vagas.
  • Requisitos para participar: ser brasileiro nato ou naturalizado, ou estrangeiro em situação regular no país; desempregado; maior de 18 anos; residente no DF.
  • Cada aluno terá auxílio pecuniário (bolsa), no valor de um salário mínimo, além de transporte e seguro contra acidentes pessoais.
  • Após a conclusão do curso, os alunos terão direito a certificado, autenticado pela entidade qualificadora e pela Secretaria de Trabalho.
  • Início do curso: 12/1/2021.
  • As atividades serão desenvolvidas no âmbito das regiões administrativas (RAs) do DF, em quadras poliesportivas, praças, parquinhos infantis, parques, pontos de encontro comunitário, jardins, campos de futebol sintético, entre outros equipamentos públicos, com espaço para as aulas práticas, de interação e qualificação.
  • Inscrições: até 1º/12,  na página da Secretaria de Trabalho.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui