GDF estima receita de R$ 44 bi para 2021

O valor se encontra o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) publicado no Diário Oficial da CLDF; grande parte do arrecadado será para pagamento de pessoal, valor pode chegar a R$ 26 bilhões

Por Redação

O Governo do Distrito Federal (GDF) estima um aumento na receita para o próximo ano. É o que indica o Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) 2021 publicado no Diário Oficial da Câmara Legislativa do DF (CLDF) desta quinta-feira (24). Na projeção, o governo estima arrecadar R$ 44,187 bilhões, sendo que R$ 15,7 bilhões são repasse do Fundo Constitucional (FCO). A expectativa de aumento das receitas para o ano que vem é maior do que foi definido na Lei Orçamentária (LOA) de 2020, quando se projetou receita de R$ 43,102 bilhões.

De todo esse montante projetado para receber em 2021, o governo deve destinar R$ 26,903 bilhões para o pagamento de pessoal. O percentual gasto com esse tipo de despesa é de 56,7%. Em 2019, eram 58%. Para investimento, o valor a ser repassado é de R$ 1,272 bilhão.

Projeto da Lei Orçamentária Anual foi publicado, ontem, no Diário Oficial da Câmara Legislativa

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, o secretário de Economia do DF, André Clemente, falou que o Ploa é apenas um indicativo e que seu planejamento pode ser mudado conforme às necessidades que possam surgir em 2021.

“O orçamento é uma peça de planejamento. Quanto mais realista for, mais eficaz é para a implementação das políticas públicas. Então, não significa que teremos menos investimentos. À medida que os recursos forem chegando, nós vamos usá-los”, explica o secretário.

Para Clemente, não adianta fabular orçamentos se eles não poderão ser executados. Segundo o titular da pasta de Economia, ele tem realizado um planejamento realista. “No passado, as peças orçamentárias estimavam muitas receitas que não se efetivaram, ou seja, eram meras peças de ficção. Estamos investindo desde 2019 numa previsão mais conservadora e realista.”

O Ploa precisa ser avaliado pelos distritais antes do recesso legislativo no fim do ano, para que depois ainda seja enviado à sanção do governador.

Receitas

Esferas fiscal e de seguridade social
R$ 26,903 bilhões
(61,9% são de origem tributária)
Investimento das empresas estatais
R$ 1,512 bilhão
Fundo Constitucional
R$ 15,771 bilhões
Total
R$ 44,187 bilhões

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui