GDF estende horário de funcionamento das academias

Os gestores fizeram um apelo para que os profissionais de saúde busquem se vacinar contra a covid-19 | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Estabelecimentos podem funcionar até 23h. Decreto será publicado nesta terça-feira no DODF

Com índice de transmissão da covid-19 abaixo de 1, o Governo do Distrito Federal (GDF) vai ampliar o horário de funcionamento das academias de ginástica. Um decreto a ser assinado pelo governador Ibaneis Rocha vai permitir que os estabelecimentos fechem as portas às 23h e não mais às 21h. A expectativa é que o decreto seja publicado nesta terça-feira (25) com vigência imediata.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (24) pelos secretários da Casa Civil, Gustavo Rocha, e de Saúde, Osnei Okumoto, em coletiva de imprensa no Palácio do Buriti. “Academia é saúde. Os bares funcionam até 23h e as academias, que trazem um benefício importante para a população, funcionavam de 6h às 21h e agora poderão funcionar até 23h já a partir de amanhã”, afirmou Gustavo Rocha. Confira o vídeo:

“A taxa de transmissão vem se mantendo estável, mas isso não quer dizer que a pandemia acabou”, ressaltou o secretário, lembrando que as academias devem respeitar o recolhimento noturno, à meia-noite.

“A taxa de transmissão vem se mantendo estável, mas isso não quer dizer que a pandemia acabou”Gustavo Rocha, secretário da Casa Civil

Na manhã desta terça-feira (25), também será inaugurado o último hospital de campanha, o de Ceilândia, reforçando os leitos para o combate à covid-19. Nos próximos dias, também estará pronto para receber pacientes o hospital acoplado de Samambaia. O DF tem hoje 7.917 casos ativos da doença. “Com isso, haverá o aumento de leitos e uma maior tranquilidade na ocupação dos leitos, que vem caindo”, afirmou Rocha.

Vacinação

Os gestores fizeram um apelo para que os profissionais de saúde busquem se vacinar contra a covid-19. Serão 14.400 doses disponibilizadas para este público. Desde o último sábado, a Secretaria de Saúde registrou 5.235 agendamentos.  “A gente está preocupado com esse segmento, uma vez que estamos oferecendo a imunização”, declarou Osnei. “É importante que busquem a vacina, porque é através dela que vamos superar essa fase”, completou Gustavo Rocha.

O secretário de Saúde disse que alguns conselhos profissionais encaminharam nomes para a secretaria sem os CPFs e que, por isso, há pessoas que não conseguem fazer o agendamento. Segundo ele, essas pessoas devem registrar uma reclamação no site da Ouvidoria, informando o nome, a qual conselho ele faz parte e o CPF. “A secretaria vai confirmar se o nome bate com o que foi encaminhado pelo conselho e o CPF será cadastrado no sistema”, garantiu Okumoto.

Na coletiva, os secretários destacaram que a variante indiana ainda não se apresentou no DF. “O Laboratório Central (Lacen) fez o teste em 301 amostras, 259 delas são variantes P1 (de Manaus) e não foi destacado no restante das amostras o vírus indiano”, contou Osnei.

“Não há, até o momento, indícios que a cepa indiana chegou ao Distrito Federal. Caso isso ocorra, vamos dar ampla publicidade”, ressaltou o chefe da Casa Civil. Segundo ele, as três vacinas aplicadas no DF, a CoronaVac, a AstraZeneca e a Pfizer/BioNTech, são eficientes contra a variante.

Informações Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui