GDF diz que aumento no número de casos de covid-19 já era esperado

Um dos motivos pelo qual mais casos estariam sendo constatados é o fato de que o governo está testando mais a população; somente ontem 20 pessoas morreram no DF com a doença

Da redação

O Governo do Distrito Federal (GDF) argumenta que o motivo pelo qual os números de casos de pacientes com covid-19 têm aumentado é em razão da testagem rápida da população desde 21 de abril. Ao todo, cerca de 275 mil cidadãos já foram testados, o que permitiu ao governo ter conhecimento da real da situação do Distrito Federal e então traçar metas de enfrentamento ao avanço do novo coronavírus. Além disso, o Executivo informa ainda que a implantação do sistema de testagem através do drive-thru também contribuiu para esse aumento, assim como a testagem rápida em pacientes que buscaram uma Unidade Básica de Saúde (USB) ou hospital.
“A gente fez também a testagem em casas de acolhimento de idosos, de crianças e adolescentes e em moradores em situação de rua”, afirma o secretário-adjunto da Secretaria de Saúde do DF, Ricardo Tavares.

 

Os primeiros estudos mostravam uma previsão para que o pico da doença fosse em abril, mas o GDF diz que conseguiu achatar a curva de contaminação e frear o aumento dos casos

O DF tem atualmente, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde, 19.433 pessoas infectadas com a doença e 256 mortes. Somente ontem (10), a Secretaria confirmou a morte de 20 pessoas. De acordo com o boletim, pela primeira vez o número de infectados foi de mulher. Agora, elas representam 50,1% do total. Já com relação à idade, a maioria dos pacientes tem entre 30 e 39 anos.

Além das medidas preventivas adotadas pelo GDF, o momento, ou seja, o mês de junho, já era considerado pela pasta como um período de intensidade no aumento do número de casos. Isto porque estaríamos começando a subir a curva para atingirmos seu pico no mês de junho. Este aumento, explica o governo, já era previsto para acontecer em abril, mas medidas como o isolamento social e fechamento do comércio contribuíram para que o pico fosse adiado. “Já era previsto termos um aumento da incidência de casos no mês de junho, e o nosso pico da doença deve ser no mês de julho. A previsão foi feita considerando que faríamos a testagem em massa. O aumento de forma mais rápida de casos positivos tem relação direta com os testes feitos”, explica Tavares.

Fiscalização

Com a reabertura do comércio e de atividades sociais, o governo afirma que passou a fiscalizar de forma mais incisiva se as medidas de segurança estão sendo adotadas pela população. Regiões administrativas que apresentam alto índice de contaminação, como Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol e Estrutural, estão sendo vistoriadas por equipes do DF Legal.

Até ontem o GDF informa que foram interditados 37 estabelecimentos comerciais e notificou outros sete por não cumprimento das determinações. Na ação, 9.067 lojas teriam sido fiscalizadas e 17,6 mil máscaras foram doadas à população.

Higienização

Começou também na área central do DF a lavagem das paredes da plataforma da Rodoviária que dá acesso aos Eixos Sul e Norte do Plano Piloto. No domingo, dia 14 de junho, a ação será nos paredões do Buraco do Tatu, já que estará sem fluxo de veículos devido ao retorno das atividades do Eixão do Lazer. A higienização, informa o governo, está acontecendo em áreas públicas com grande circulação de pessoas como passagens subterrâneas, feiras, paradas de ônibus, imediações de hospitais públicos e de Unidades de Saúde Básicas e de internação do Sistema Socioeducativo. “Com o apoio de caminhões pipa, as higienizações acontecem nessas áreas como medida necessária para o enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19)”, diz a assessoria do GDF.

Veja abaixo os casos de covid-19 no DF, segundo o último levantamento.
Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui