GDF cria força-tarefa para conter proliferação de doenças relacionadas ao mosquito da dengue

Dengue: mais de 900 mil imóveis vistoriados

Neste primeiro momento, quase 1 milhão de residências já foram vistoriadas, e a meta é prosseguir no controle larvário, atividades educativas, controle da população de mosquitos, assistência aos casos prováveis, entre outros

Por Redação

Com o período de chegada das chuvas, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) iniciou as ações de combate ao mosquito da dengue. Transmissor não só de dengue, mas também de febre amarela, chikungunya e zika, o Aedes aegypti já levou a óbito, no DF, este ano, 44 pessoas. Mesmo o número sendo menor que o ano passado, quando 48 pessoas morreram em consequência de dengue, a pasta informa que medidas preventivas e de combate ao mosquito já aconteceram em 909.094 imóveis.

Entre os serviços que a SES-DF tem realizado para conter o avanço de criadouros do mosquito e da proliferação das doenças, estão ações como visitas domiciliares, controle larvário, atividades educativas, controle da população de mosquitos, assistência aos casos prováveis, encaminhamento de diagnósticos laboratoriais, tratamento do paciente e recuperação do imóvel contaminado.

“Os principais criadouros do mosquito ainda são encontrados nas residências, principalmente nos quintais, em baldes sem tampa, vasilhas, pratos de plantas e caixas d’água destampadas. Por isso, não se pode descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros”, lembra o titular da SES-DF, Osnei Okumoto.

Ações de combate ao mosquito são realizadas diariamente, durante todo o ano, com o apoio de 700 profissionais

Atualmente, segundo dados da SES-DF,há registrado na capital federal 45.112 casos prováveis de dengue, um número que representa um aumento de 22,2% em relação ao mesmo período do ano passado. As regiões administrativas de Ceilândia, Gama e Santa Maria são as que possuem maiores índices de contaminados pela doença.

Métodos

O sistema de combate e prevenção consiste em atuar de acordo com as determinações do Programa Nacional de Combate à Dengue. De acordo com o subsecretário de Vigilância à Saúde da SES-DF, Divino Valero, o trabalho nesse âmbito consiste em atuar, com apoio de equipes, nas residências e espaços públicos, com o uso de borrifação de larvicida em um raio de 300 m². Também é feita uma feita investigação epidemiológica para saber os dados de determinada região para o tratamento espacial.

O trabalho de vigilância é preventivo para evitar que o mosquito sobreviva. Por isso, o trabalho desenvolvido por todos esses colegas é de suma importância. Precisamos desse apoio dos órgãos do GDF para atuar conjuntamente nos pontos mais críticos”, lembra o subsecretário.

O Governo do DF também criou uma Sala Distrital Permanente de Coordenação e Controle das Ações de Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes (SDCC),que conta com o apoio de 15 órgão de governo, e que voltou com os serviços presenciais – suspensos em razão da pandemia – nesta segunda-feira (19).

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui