GDF bate meta estipulada em relação à destruição de máscaras à população

Oferta do item de proteção facial vai aumentar nos próximos meses, garante GDF

O governo informa que já foram distribuídas cerca de 1,2 milhão de unidades em todas as regiões administrativas, o objetivo agora é chegar a 3 milhões de peças; veja como a população pode fiscalizar os bares e restaurantes que voltaram a funcionar

Por Redação

A Portaria nº 21, de 22 de maio de 2020, que possibilita ao Governo do Distrito Federal (GDF) a fornecer, de forma gratuita, máscaras facial para a população se prevenir contra a covid-19, concluiu esta semana a distribuição de 1,2 milhão de máscaras. Somente nas regiões administrativas, até o momento, foram distribuídas 630.500 máscaras. O equipamento de segurança não protege totalmente a pessoa contra o novo coronavírus, mas ajuda na redução do nível de contaminação.

A ideia de distribuir máscaras à população surgiu assim que o governo local intensificou o isolamento social adotado em razão da pandemia. Ainda no mês de abril, uma parceria firmada junto à Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), possibilitou que o GDF intensificasse e garantisse a distribuição de 1 milhão de máscaras. Houve ainda a participação popular, que por meio do canal de doações ao GDF, milhares de peças também foram entregues à população. Outras unidades vieram ainda da Fábrica Social e do Senac-DF.

Pelo jeito, a meta de um milhão foi superada, e, segundo o governo, a ideia é atingir nos próximos meses cerca de 3 milhões de máscaras distribuídas. Isso equivale a o total da população do DF, ou seja, em hipótese, haverá uma máscara para cada habitante.

“Nós vamos alcançar dois milhões de máscaras e vamos continuar. O objetivo é chegar a três milhões para o retorno das aulas. Vamos continuar fazendo essa distribuição porque é uma política de preservação da vida”, explica o secretário de governo do DF, José Humberto Pires.

O uso de máscaras em locais público no DF é obrigatório desde abril, quando o governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou o uso do equipamento de segurança. Neste decreto, já estabelecia também as punições e sanções para quem descumprisse a determinação. Fica assim estabelecido que o descumprimento do uso de máscaras nas áreas públicas e também em ambientes comerciais e de uso social coletivo, como bares, igrejas, shoppings, e afins, poderia levar o infrator a responder pelo crime de infringir determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. Com pena de um mês a um ano de detenção.

População pode ajudar fiscalização denunciando na Ouvidoria-Geral do GDF pelo telefone 162

Em Ceilândia, região administrativa que mais tem casos e mortes por covid-19, um bar, após se flagrado funcionando com pessoas sem uso de máscaras e descumprindo as regras de isolamento social, foi interditado e terá que pagar multa de R$ 3.628.

A fiscalização, tanto de estabelecimentos quanto de pessoas, sobre o uso de máscaras é feito pelo DF Legal, pela Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Secretarias de Mobilidade e Economia, Procon e Corpo de Bombeiros, entre outros, que atua nas ruas e estabelecimentos.

Comércio

Voltou a funcionar ontem (16) no DF os bares e restaurantes. Após ficaram fechados por quatro meses, o segmento retomou as atividades com uma série de medidas a ser seguidas. Conforme estabelece o governo, o comércio pode abrir desde que respeite distância mínima de dois metros entre as pessoas, obrigatoriedade de utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs), organização de escalas de revezamento nos estabelecimentos comerciais, disponibilização de álcool gel e aferição de temperatura.

A fiscalização do cumprimento das normas nos bares e restaurantes será feita pela Vigilância Sanitária. A população também pode fiscalizar e denunciar os estabelecimentos que estiverem descumprindo as normas, através daOuvidoria-Geral do GDF pelo telefone 162 e escolher a Opção 2 ou no canal da Vigilância Sanitária que é 160.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui