GDF autoriza concurso para área da saúde

Secretaria de Economia autoriza concurso para agente de saúde

As vagas serão para agente de vigilância ambiental e agente comunitário da saúde; salários varia entre 1,7 mil a 2 mil

Por Redação

A saúde pública no Distrito Federal receberá um reforço de efetivo a partir dos próximos meses. Hoje, 30, a Secretaria de Saúde do DF, ganhou a responsabilidade de gerir um concurso para a contratação, através de concurso, de 815 agentes de vigilância ambiental e de 100 agente comunitário da saúde.

O lançamento do concurso público foi feito pela Secretaria de Economia através de duas portarias – nº 242 e nº 243 – publicadas nesta terça-feira no Diário Oficial do DF (DODF). “A Portaria nº 242 – autoriza o concurso e a previsão de cadastro reserva igual a 50% da quantidade de vagas – diz que a ocupação dos cargos dependerá das disponibilidades orçamentária e financeira”, informa a Secretaria de Economia.

Em média, um agente comunitário de saúde ganhaR$ 1,7 mil, mais auxílio alimentação de R$ 394,50 e auxílio-transporte; os agentes de vigilância ambiental, o salário é de R$ 2 mil, com auxílios alimentação e transporte.

A função dos atentes de vigilância ambiental em saúde trabalha no combate à dengue em todo DF. Também atuam no controle de roedores, escorpiões, carrapatos, pulgas e pombos, vacina de cães e gatos, no auxílio durante a coleta de exames para diagnóstico de leishmaniose canina e são primordiais na educação ambiental comunitária.

De acordo com dado da Secretaria de Saúde, este ano o DF já possui 135 casos da febre chikungunya, 35 de zika; não há no momento registro de febre-amarela. Em relação à dengue, Ceilândia é a região administrativa que mais tem casos, com 4.527, seguida por Gama, com 4.424, e Santa Maria, com 3.386. No Gama, onde há o maior número de mortes por dengue, oito pessoas morreram com doença este ano.

Hospital de Campanha

O hospital de campanha que está sendo construído ao lado do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) está com 60% das obras concluídas. O hospital, que está sendo construído pelo Governo do DF (GDF) e pela empresa JBS, terá capacidade para 73 leitos, sendo 70 de enfermaria e três de isolamento com suporte respiratório.

Hospital de campanha acoplado ao HRC já tem 60% da estrutura concluída

““As obras estão dentro do cronograma. Depois da pandemia, essa estrutura ficará como um legado para o DF, oferecendo leitos de clínica médica”, garante a superintendente da Região de Saúde Oeste, Lucilene Florêncio.

Outro hospital de campanha também está sendo construído, porém, esse não tem apoio da iniciativa privada e o andamento das obras não foi revelado pelo GDF. O governo só diz que se trata de um hospital com “60 leitos, sendo 20 com suporte respiratório e 40 de enfermaria”.

O governo informa ainda que dez leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HRC foram reformados para receber os pacientes em situação mais grave.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui