GDF aposta em PPPs para melhorar sistema de transporte e mobilidade urbana

Aliadas da mobilidade, parcerias-público privadas avançam no DF

Atualmente há nove projetos desse tipo em andamento na Secretaria de Transporte e Mobilidade; entres as obras estão melhoria no Metrô, implantação do VLT e a construção de uma Avenida comercial que irá interligar diversas regiões administrativas

Por Cláudio Ulhoa

O Governo do Distrito Federal (GDF) vê nas parcerias público-privadas (PPPs) uma forma de atender às demandas da população em relação ao sistema de mobilidade urbana. Com nove projetos nesse sentido, a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob-DF) está coordenando a execução de diversas obras, como o estacionamento rotativo até a expansão do metrô, a implantação do VLT e a construção de pontes.

A pasta está trabalhando sobre a proposta de fazer com que o número de carros nas vias do DF seja cada vez menor. Hoje, informa a Semob-DF, a capital federal possui mais de três milhões de habitantes e tem uma frota veicular que chega a dois milhões. Portanto, a intenção do governo é apoiar projetos que estimulem o uso do transporte público para se deslocar pelo DF.

“Boa parte desses projetos de PPPs estimulam o transporte público, como o BRT e o metrô, ou desestimulam o uso individual de veículos, como no caso de estacionamento pago nas cidades. É um trabalho pensado na mobilidade de forma ampla e necessário para o desenvolvimento do DF”, diz o titular da Semob-DF, Valter Casimiro.

Dos 20 projetos em andamento, nove estão relacionados à melhoria do transporte público, trânsito e ordenamento urbano, como a Avenida das Cidades

Entre os projetos a serem financiados pelas PPPs está a Avenida das Cidades, que vai interligar as regiões administrativas do Plano Piloto, Guará I e II, Águas Claras, Park Way, Taguatinga, Samambaia e arredores, através de uma avenida com salas, escritórios e sistema viário ao longo de 26 quilômetros.

Com investimento de R$ 2,9 bilhões, o governo estima que as obras devem durar cerca de dez anos, e vai gerar 20 mil postos de serviço durante a construção e 80 mil quando estiver funcionando. A avenida vai atender a 372 mil habitantes, com comércio, mas também grandes áreas verdes, ciclovias, pontes e viadutos.Há ainda a previsão de construção de empreendimentos imobiliários ao longo da via.

Outros projetos de PPPs em andamento no DF

– Restaurantes comunitários
– Centro Logístico para Distribuição de Medicamentos
– Postes multiuso
– Gestão Integrada Sustentável de Resíduos Sólidos
– Mercado Central de Brasília (Ceasa)
– Complexo Esportivo e de Lazer do Guará (Cave, Ginásio e Clube Vizinhança)
– Complexo Esportivo e de Lazer do Guará (Kartódromo)
– Complexo Gastronômico e de Lazer da Ponte do Bragueto
– Criação e operação de lotéricas e jogos estaduais
– Implantação de Marinas Públicas no Lago Paranoá
– Tratamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui