FCO, liberado através do BRB, disponibiliza recursos para empresas e gera indiretamente mais de oito mil empregos no DF

Procura pelo fundo aumentou 352% em relação ao ano passado; créditos liberados fomentam a criação de oito mil empregos

São linhas de financiamento voltadas a empresas de diversos segmentos que queiram abrir ou reformar seus empreendimentos; só este ano, o fundo já liberou quase R$ 778 milhões

Por Cláudio Ulhoa

Além das linhas de crédito e financiamentos do Banco de Brasília (BRB), um dos recursos que tem sido usado pelas empresas no Distrito Federal são os serviços de financiamento disponíveis pelo Fundo de Financiamento Constitucional do Centro-Oeste (FCO), que junto com o Banco do Brasil, podem ser acessada através do BRB.

De acordo com Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF, somente este ano, o FCO já liberou quase R$ 778 milhões em financiamento para empresas. Com isso, as empresas puderam contratar, o que gerou, segundo a pasta, quase oito postos de trabalho.

“Temos a convicção na retomada da economia no DF e Entorno e esses números provam que estamos no caminho certo. Apesar dos impactos da pandemia, temos apoiado os empresários e estamos priorizando não só a manutenção, mas, também, a geração de emprego e renda, além de um cuidado especial com a nossa arrecadação”, afirma o secretário Desenvolvimento Econômico do DF, José Eduardo Pereira Filho.

FCO libera R$ 778 milhões para expansão de empresas

O dinheiro do FCO pode ser utilizado na aquisição de equipamentos, máquinas e melhorias na infraestrutura das empresas. As linhas de financiamento podem ser utilizados tanto por empresários urbanos como por produtores rurais. Elas são destinadas a empreendedores que queiram abrir, aumentar ou investir em tecnologia nos seus negócios.

Essa procura por financiamento está no Relatório deste ano da Superintendência de Desenvolvimento do Centro Oeste (Sudeco) que constatou um aumento da procura do empresariado do DF e Entorno pelos financiamentos. “De janeiro à primeira quinzena de dezembro de 2020, foram consultadas e aprovadas 338 cartas, contra 96 cartas no mesmo período do ano de 2019, o que resultou em 352% de aumento”, diz o relatório.

O BRB voltou a operar com recursos do FCO, por meio da linha de financiamento FCO Empresarial, em junho deste ano. O objetivo do banco com essa iniciativa, que foi defendida pessoalmente à época pelo governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), é de promover o desenvolvimento de atividades produtivas e econômicas do DF e Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride-DF) nos setores de desenvolvimento industrial, infraestrutura econômica, turismo, ciência, tecnologia, inovação, comércio e serviço.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui