Emprega-DF ultrapassa 17 mil postos gerados na pandemia

GDF incentiva programas de geração de emprego para retomada do crescimento econômico

Até o final deste ano, 17 empresas entraram no Emprega-DF, que tem como meta fomentar o desenvolvimento local através da concessão de benefícios fiscais a quem invista e gere trabalho no DF

Por Redação

Uma das medidas criadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para retomar o crescimento, neste período de pós-pandemia, é a geração de emprego. O governo atua em várias frentes para tentar criar postos de trabalho a fim de realocar parte da mão de obra ativa que se encontra desempregada atualmente no DF.

A maioria das iniciativas do GDF, neste sentido, é coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE). É o caso do programa Emprega-DF, que foi criado justamente fomentar o desenvolvimento local através da concessão de benefícios fiscais a quem invista e gere trabalho no DF.

“O Emprega-DF está sendo um sucesso na captação de investimentos e na geração de empregos. A secretaria comemora esses resultados, principalmente por serem alcançados em meio a uma crise na economia gerada pela pandemia de Covid-19”, ressalta o secretário da SDE, José Eduardo Pereira Filho.

Informações da SDE mostram que este ano 17 empresas aderiram ao Emprega-DF. Desse total, sete já recebiam algum tipo de benefício do GDF, pois estavam cadastradas em outros programas do governo, e as outras oito estão na fase final de análise. A expectativa da pasta é que o término de todo o processo, cerca de 17,3 mil empregos sejam gerados no DF.

“Com a economia gerada pelos descontos concedidos no pagamento do ICMS, as empresas conseguem ter melhor fluxo de caixa, aceleram o andamento das obras, têm mais recursos para investir, reduzir valores de produtos e serviços e, assim, garantir mais clientes e consumidores. Isso sem falar na geração de mais empregos”, explica Júlio Breves, assessor especial da SDE.

Os benefícios oferecidos pelo Emprega-DF segue o nível de emprego que o empreendimento gera. Ou seja, na prática, aquela empresa que contratar mais mão de obra, e que comprar mais equipamentos e produtos do mercado local, além de desenvolver projetos sociais voltados à preservação do meio ambiente, à qualificação de mão de obra e às ações de patrocínio a projetos culturais e esportivos, terão mais benefícios concedidos.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui