- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
Distrito FederalPesquisa mostra que GDF foi responsável pela criação de 64 mil empregos...

Pesquisa mostra que GDF foi responsável pela criação de 64 mil empregos em 2021

Maioria dos postos de trabalho foi resultado da criação de medidas como a vacinação de covid-19, a execução de obras públicas e lançamento de programas de capacitação de trabalhadores

Por Cláudio Ulhoa

A recente Pesquisa do Emprego e Desemprego (PED)mostrou que o Governo do Distrito Federal (GDF) foi responsável pela criação de 64 mil postos de trabalho na capital federal em 2021. O número representou na prática um aumento do nível ocupacional, o que, segundo a pesquisa, gerou, em novembro, uma redução na taxa de desemprego que caiu de 17,8% para 16,1%.

O bom resultado da pesquisa revela que o Executivo, através de ações voltadas à vacinação contra a covid-19, o investimento na construção civil com centenas de obras públicas, o lançamento de programas de capacitação e de auxílios financeiros, junto com o adiamento de impostos para o setor empresarial e outras, conseguiu diminuir o impacto causado pelo forte desemprego que atinge o país.

A pesquisa, que segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), que coordenou a pesquisa, revela que o crescimento do número de emprego pode estar relacionado com a vacinação contra a covid-19, já que grande parte dos postos de trabalho na capital federal é do setor de serviço, segmento da economia que ficou parado esó voltou a recontratar depois que iniciou a imunização.

Outro segmento importante, conforme destaca o secretário de Obras do DF, Luciano Carvalho, foram as intervenções com obras públicas em diversos segmentos da infraestrutura urbana e rural. “Nossas obras avançaram significativamente no período, gerando emprego e renda para muitos trabalhadores e movimentando a economia. Dar continuidade às obras em andamento e iniciar novas obras foi uma determinação do governador”, afirma Carvalho.

Além dessas medidas o governo elaborou e colocou em prática programas de fomento econômico, como o Pró-Economia, que teve sua primeira etapa lançada em maio, quando injetou R$ 1,2 bilhão nos cofres públicos, com 18 ações implementadas, seguido depois da etapa 2, quando mais 34 medidas foram lançadas com o intuito de minimizar os impactos da pandemia.

Entre essas medidas estavam o diferimento do ISS, IPTU e IPVA para 37 mil empresas dos setores empresariais como eventos, salões de beleza e de casa de festas; redução da base de cálculo do ICMS do café com inclusão na cesta básica, beneficiando mais de 12 mil empresas dos setores de cultivo de café e do comércio atacadista; auxílio emergencial para proprietários de veículos do setor de transporte de turismo; redução de multas por descumprimento de obrigações tributárias de ICMS e ISS; ampliação do Programa Prato Cheio para 35 mil beneficiários; e pagamento de pecúnia a policiais civis.

Em 2021, a Secretaria de Obras investiu R$ 226,779 milhões. Ao todo, foram 16 obras, como é o caso da construção do Túnel de Taguatinga, os serviços de infraestrutura de Vicente Pires, os viadutos da ESPM e EPIG e as reformas da W3 Sul e SRTVS. Segundo a pasta, essas obras criaram mais de 10 mil empregos.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista membro da Associação Brasileira de Portais de Notícias – ABBP

- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo