DF Legal realiza nova operação em assentamento para remover possíveis construções irregulares

Os moradores do assentamento 26 de setembro, próximo à Taguatinga, foram retirados de suas casas em mais uma ação da Secretaria DF Legal neste quinta-feira (27)

Por Redação

O motivo da remoção seria o fato das famílias terem ocupado uma área pública de forma clandestina; os moradores contestam essa informação.

Na quarta-feira (26), moradores atearam fogo em um ônibus que passava pelo local, como forma de protesto contra a ação do governo de derrubar as casas, já que cerca de 30 mil pessoas vivem na área.

Mas a operação de remoção prosseguiu nesta quinta, quando, segundo o DF Legal, foram removidos equipamentos instalados recentemente, entre eles três edificações de alvenaria, três galpões metálicos, 300 metros lineares de muros, 100 metros lineares de cercamento de zinco e cercas. Além disso, a operação também retirou uma base de 40 metros quadrados, desligou um ponto de energia e aterrou três fossas.

O Governo do Distrito Federal informou que as ações de remoção de ocupações de áreas públicas vão continuar. O governo informa ainda que somente este ano já liberou e recuperou 344,4 mil metros quadrados de área pública na região. A ação fez parte de mais uma etapa da operação Pronto Emprego no local, com o objetivo de impedir a ocupação de área ambiental por grileiros.

 “A ordem expressa é não realizar a remoção de ocupações habitadas, evitando que famílias se exponham ao contágio do novo coronavírus em plena pandemia de Covid-19”, garante o DF Legal.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui