DF está sob estado de calamidade pública

Decreto em que Ibaneis Rocha (MDB) comunica estado de calamidade pública começa a valer a partir de hoje (29)

A decisão foi tomada pelo próprio governador Ibaneis Rochanesta segunda-feira (29); com a medida, o GDF pode renegociar dívidas e pedir apoio ao governo federal para combater a covid-19

A partir de hoje, 29, o Distrito Federal está em estado de calamidade pública. A medida foi aplicada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) e vale enquanto durar a pandemia de covid-19. De acordo com o Governo do DF (GDF), a decisão precisou por essa via, uma vez que os casos da doença tem aumentado em todas regiões administrativas.

Até ontem (28) o DF tinha 44.905 casos diagnosticados de covid-19 e 501 mortes. E esses números, segundo previsão do próprio governo, tende aumentar nas próximas semanas. “Quando o Estado toma essa decisão, é porque a sua capacidade de resposta à crise está seriamente comprometida e é necessário que o Governo Federal adote medidas para apoiar ente federativo. Antes disso, porém, a União precisa reconhecer o estado de calamidade”, comunica o GDF.

Agora, sob novo modelo de estado, o GDF, caso seja preciso, parcelar dívidas e remanejar orçamento para combater a covid-19. Além disso, permite que a sociedade tenha direito de sacar parte do FGTS sem autorização do governo federal.

Vigilância à Saúde

Em entrevista nesta segunda-feira, 29, o subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Eduardo Hage, disse que a curva de evolução dos casos, principalmente os mais críticos, que necessitam de internação, estão sendo acompanhados de perto pela Secretaria de Saúde local. Hage também destaca que mesmo com o aumento de casos e abertura de novos leitos nos últimos dias, o governo estaria preparado para atender essa atual demanda. “Sim, nós fizemos algumas contratações por concurso, para contratação temporária. Essa semana houve uma nova contratação de profissionais, que foram rapidamente incorporados”, garante o subsecretário.

Pico

Outra informação importante que Hage disse em sua entrevista foi com relação ao número de casos de covid-19 para os próximos dias. Segundo ele, a cada semana, as projeções são atualizadas, por isso, pela análise, a secretaria observa que a previsão mais recente do pico deve estar em torno do próximo fim de semana, ou, no máximo, na semana seguinte.

“Mas, é mais provável que ele já se dê nesta semana que entramos agora. Pelos últimos dados, porém, não há indícios de que vai haver uma explosão de casos, como tem sido registrado até o momento”, afirma Hage.

Lockdown

O subsecretário também descartou a possibilidade, no momento, de decretar o fechamento total das atividades sociais e comerciais no DF, mesmo em regiões cujo índice de contaminados e mortos é alto, como o caso de Ceilândia, Samambaia e Taguatinga. “O lockdown para todo o Distrito Federal é impossível e, a meu ver, seria inócuo, porque o que nós temos que assegurar é que as pessoas adotem as medidas de proteção quando precisam sair, e que fiquem em casa, se puderem.”

O subsecretário de Vigilância à Saúde do DF diz, que no momento, não há possibilidade de lockdown nas regiões administrativas

Sobre a postura do governo em relação às medidas de preventivas para a retomada das atividades comerciais, Hage explica que todo trabalho tem sido feito, antes de tudo, sob um forte campanha de conscientização da população sobre os riscos e os cuidados que se deve ter sobre a nova doença.

“Usem máscaras, álcool em gel e façam distanciamento social. Essas são atitudes mais importantes do que um lockdown geral”, lembra o Hage.

Fonte News Black

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui