DF começa vacinar contra a covid-19 a população em situação de rua

População em situação de rua começa a ser imunizada

As equipes do Consultório de Rua serão responsáveis pela aplicação do imunizante; estima-se que existam na capital federal 2,2 mil pessoas em situação de rua

Por Cláudio Ulhoa

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informa que as pessoas em situação de rua começaram a ser vacinadas contra a covid-19 nesta segunda-feira (28/6). De acordo com a pasta, o DF tem cerca de 2,2 mil pessoas em situação de rua. Esse público será imunizado com as doses de Janssem, que não precisa de segunda dose.

Neste primeiro momento, a vacinação, que está sendo feita pelas equipes do Consultório de Rua, ocorrerá com as pessoas que não vivem em abrigos, pois estão mais expostas à doença. Para este público, a vacinação ocorre nos Centros de Referência Especializados para População em Situação de Rua (Centro Pop) do Plano Piloto e de Taguatinga e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Ceilândia.

Para esse público, a Secretaria de Saúde reservou 950 doses da vacina Janssen, aplicada em dose única

“Estamos priorizando, neste momento, a população não abrigada, mais exposta à covid-19 e a outros agravos. A situação de higiene em que vivem é precária, o que prejudica a prevenção. Além disso, muitos possuem comorbidades, são idosos, e isso aumenta o risco”, explica a gerente de Atenção à Saúde de Populações em Situação Vulnerável e Programas Especiais da SES-DF, Denise Ocampos.

O público mais vulnerável já vinha recendo doses da vacina. Em janeiro deste ano, 92 idosos abrigados em instituições de acolhimento foram vacinados. Depois, em março, foi a vez de imunizar Em março, 48 indígenas de diversas etnias acompanhados pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras) do Gama. E, em maio, 17.182 pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) no Distrito Federal, com idade entre 18 e 59 anos, receberam mensagens de texto ou ligações telefônicas convocando-as para a vacinação contra a covid-19.

“Trata-se de um público extremamente vulnerável, por ter contato com muitas pessoas ao longo do dia. O GDF sensibilizou-se com essa demanda, que tem o objetivo de chegar também às unidades de acolhimento e casas de passagem”, explica a gestora”, diz a titular da Secretaria de Desenvolvimento Social do DF, Nayara Noronha.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui