Deputado Delmasso pede desculpas por aprovação de plano de saúde para ex-distritais

O vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Rodrigo Delmasso (Republicanos), usou as redes sociais para divulgar nota em que pede desculpas à população pela aprovação de um projeto de resolução que acabou permitindo a inclusão de ex-deputados distritais como beneficiários do plano de saúde da Câmara Legislativa (Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores – Fascal).

Na nota, Delmasso afirma reconhecer o erro e informa que os distritais voltarão atrás da decisão na próxima terça-feira (26/5), quando ocorre nova sessão extraordinária remota da Casa.

Graças a uma emenda, sugerida pela Mesa Diretora, ficou estabelecido que ex-deputados distritais, assim como familiares e dependentes, sejam incluídos no benefício vitalício.

Hoje, apenas aqueles no exercício do mandato e servidores — e respectivos cônjuges e dependentes até 21 anos — podem usufruir do plano, que, em 2019, gerou despesa de R$ 44 milhões.

Delmasso já havia informado que os deputados decidiram pela revogação da medida na sessão da próxima terça-feira. Ao Correio, ele lamentou o ocorrido. “A verdadeira intenção não era aquela que apareceu e, por causa da interpretação, é melhor pedir desculpas. O importante é que temos tempo para consertar.”

VEJA A NOTA DE DESCULPAS PUBLICADA POR DELMASSO:

“QUEM NÃO TEM PECADO, ATIRE A PRIMEIRA PEDRA!”

Frase acima foi dita por Jesus, quando Maria Madalena estava sendo condenada pela prática de prostituição.

Venho aqui reconhecer o meu ERRO. Não vou colocar outra versão, mas uma coisa é certa que a verdade sempre prevalece.

Graças a Deus temos a possibilidade de reparar o erro, o que será feito na próxima terça-feira. Quero sim pedir desculpas aqueles que se decepcionaram, mas tenham a minha palavra que isso não acontecerá mais!

Fica o bom aprendizado que a população está acompanhando nosso trabalho, peço que continue e verão que fazemos muitas coisas boas.

Com isso gostaria de fazer algumas perguntas:

1) Uma vida inteira pode ser inviabilizada por causa de um erro?

2) Todo um trabalho pode ser invalidado por causa de um erro?

3) Quando você erra, como gostaria de ser recebido?

Deixo aqui o meu verdadeiro pedido de desculpas, mesmo sabendo que a intenção nunca foi lesionar o dinheiro público, mas sim economizar!

Abraços,

DEPUTADO DELMASSO

Com informações do Jornal Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui