Cresce a procura por empréstimos através do FCO

Em seis meses, 131 novos projetos de empreendimento foram analisados pelo FCO

Só no primeiro semestre deste ano, a procura por linhas de crédito já representam 70% do que foi emprestado em 2019; ainda há linhas de crédito via BRB que podem chegar até R$ 1 bilhão

Por Redação

Mais uma vez o investimento público será utilizado para mitigar os danos causados pela pandemia de covid-19. Desta vez trata-se do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) que, de janeiro a junho deste ano, aprovou 131 pedidos de empréstimos (cartas-consulta) para empresários do Distrito Federal de todos os portes. A informação consta no relatório da Secretaria de Desenvolvimento Econômico em relação à Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco). O valor destinado em empréstimo já somam R$ 359,5 milhões.

Além da procura normal por esse tipo de empréstimo, há também a situação do momento, em que diversos ramos, sejam eles produtivos ou comerciais, foram afetados pelas medidas de segurança contra o novo coronavírus. Segmentos como o de hotéis, bares e restaurantes, por exemplo, chegaram a demitir mais de 30 mil pessoas, durante os primeiros meses da pandemia no DF.

Isso fica comprovado pelo aumento em relação à procura de empréstimo este ano. Se em 2019, os pedidos de empréstimos foram na ordem de 36, este ano, os 131 pedidos, representam 70% do solicitado durante os doze meses do ano passado. Ainda houve a liberação de R$ 1 bilhão, por parte do governo federal, para ajudar na retomada da economia; esse repasse também foi feito via FCO.

O governo federal também disponibilizou linha de crédito de R$ 1 bilhão para ajudar na retomada da economia; esse dinheiro pode ser acessado pelo BRB

Esse recurso destinado pelo governo federal pode ser acessado por micros e pequenas empresas através do Banco do Brasil, do Banco de Brasília (BRB) e do Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob).

O secretário de Desenvolvimento Econômico, José Eduardo Pereira, em entrevista disse que a retomada da economia do DF e da região do Entorno está sendo feita de forma correta. “Apesar dos impactos da pandemia, temos apoiado os empresários e estamos priorizando não só a manutenção, mas também a geração de emprego e renda, além de um cuidado especial com a nossa arrecadação”, explicou o secretário.

Fonte News Black

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui