Caixa bloqueia mais de 1 milhão de contas aptas a receber o auxílio emergencial

Caixa Tem informa hoje o que fazer em caso de auxílio emergencial suspenso

O bloqueio se deu em razão de erro cadastral e fraudes no processo de inscrição; hackers, militares, funcionários públicos e civis que forem constatados dentro de irregularidades podem pegar até 8 anos de prisão

Por Redação

O governo federal constatou que mais de 1,3 milhão de CPFs utilizados para receber o auxílio emergencial podem estar com algum tipo de irregularidade. A Caixa Econômica Federal, banco responsável por fazer o pagamento do auxílio, acredita que deste montante, 51% trata-se de contas falsas e os outros 49% são de usuários que por algum motivo apresentaram dados cadastrais incorretos, o que também levou à suspensão das contas. O problema veio à tona após a Caixa constatar que pessoas estavam solicitando o auxílio de R$ 600 sem necessidade ou sem se enquadra no público alvo do programa, que são famílias e pessoas de baixa renda, desempregados ou pequeno empreendedor.

Polícia Federal investiga as suspeitas de fraudes que já levaram ao bloqueio de 1,3 milhão de CPFs no Caixa Tem

As investigações foram feitas em parceria com a Polícia Federal. Segundo a Caixa, foram bloqueadas depois que o governo percebeu que hackers tinham invadido cadastros do aplicativo Caixa Tem. Com o bloqueio da conta dos usuários, as pessoas correram para as agências da Caixa para tentar fazer o desbloqueio. Houve aglomeração e filas em algumas agências em vários Estados do país.

“A PF e o MPF terão acesso à ferramenta de triagem e ao produto da aplicação dos filtros, pelo Ministério da Cidadania, para adoção de medidas no âmbito penal, podendo sugerir novos critérios e cruzamentos de dados”, comunicou, em nota, a Polícia Federal.

O que fazer?

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães esclareceu que as contas que foram apenas suspensas por alguma inconsistência no cadastro, o usuários não precisaram comparecer às agências da Caixa para fazer as alterações, pois, segundo ele, tudo será feito via WhatsApp, a validação dos documentos deve acontecer em até 24 horas. Já as contas que teriam sido fraudadas, os usuários terão que comparecer na agência na data indicada para o pagamento. “Nesse grupo, esperamos que poucos vão às agências, porque os indícios de fraude são muito claros”, acredita o presidente da Caixa.

Funcionários públicos e militares que também podem ter solicitado o auxílio sem necessidade devem ser punidos. A pena, caso comprovado as irregularidades, podem chega a até oito anos de prisão.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui