Bolsonaro anuncia mais duas parcelas do auxílio emergencial

‘Vai ser menor do que os R$ 600, para ir partindo exatamente para um fim’, disse o presidente Bolsonaro durante sua live semanal

O governo defende parcelas com valores abaixo de R$ 600, já Câmara dos Deputados quer o valor atual; presidente também comentou sobre um possível aumento para os beneficiários do Bolsa Família no próximo período

Por Cláudio Ulhoa

O auxílio emergencial de R$ 600 a informais, beneficiários do Bolsa Família, Microempreendedor Individual (MEI) e desempregados dado pelos governo federal em razão da pandemia do novo coronavírus vai continuar por mais dois meses. A informação foi dada ontem, 4, pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em sua live semanal. Segundo o presidente, o auxílio será estendido porém, o valor repassado deve ser menor.

“Vai ser menor que os R$ 600, para ir partindo exatamente para um fim, porque cada vez que nós pagamos esse auxílio emergencial, dá quase R$ 40 bilhões. É mais que os 13 meses do Bolsa Família. O Estado não aguenta”, disse Bolsonaro.

O auxílio emergencial foi uma medida encontrada pelo governo federal em diálogo com o Congresso Nacional para diminuir os impactos causados pela crise econômica provocada pela pandemia de covid-19. No início, o governo queria três parcelas de R$ 200, no Congresso a proposta foi elevada para R$ 600. Agora, com a decisão de Jair Bolsonaro de manter o auxílio, mas com valor reduzido, o Legislativo deve entrar em cena outras vezes.

Ontem mesmo, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), disse que os deputados são a favor de manter as parcelas em R$ 600, mas ele disse estar ciente do rombo que isso pode causar nas contas públicas. “Vamos tentar construir soluções dentro também do orçamento fiscal normal para ver se temos espaço onde consigamos construir uma solução com o governo para que a gente possa fazer a manutenção do valor de R$ 600 por pelo menos mais 60 dias”, disse.

Bolsonaro, ainda na live, disse a saída para crise não é o auxílio emergencial, mas sim a volta das atividades comerciais. “A gente espera que o comércio volte a funcionar, os informais voltem a trabalhar, bem como outros também que perderam emprego.”

Bolsa família

O programa que foi criado pelo principal rival de Bolsonaro, o ex-presidente Lula, deve sofre alterações no próximo período. Isto porque o presidente anunciou, também durante a live, que o valor repassado às famílias beneficiárias do programa será aumentado. O presidente não disse quando e nem qual vai ser o valor do aumento.

“Acho que o pessoal do Bolsa Família vai ter uma boa surpresa, não vai demorar. São pessoas que necessitam desse auxílio, que parece que está um pouquinho baixo. Então, se Deus quiser, a gente vai ter uma novidade no tocante a isso aí”, garantiu o presidente.

Águas Lindas de Goiás

O Hospital de Campanha (HCamp) de Águas Lindas de Goiás (GO), para atender exclusivamente casos suspeitos ou confirmados de covid-19 na região do Entorno do Distrito Federal, será inaugurado nesta manhã. O presidente Jair Bolsonaro e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, participam da cerimônia.

O HCamp de Águas Lindas é para atender exclusivamente casos suspeitos ou confirmados de covid-19 na região do Entorno do DF

A unidade construída pelo governo federal e que será mantida pelo governo estadual, terá 200 leitos de internação, dos quais 190 de enfermaria e 10 de UTI, com rede de gás instalada.

O funcionamento do HCampdeve ser por quatro meses, podendo ser prorrogado. A assinatura do acordo entre o governo federal e o Estado de Goiás foi feita no dia 22 de maio. Inicialmente, a estimativa era de que as obras do hospital fossem concluídas em abril.

Fonte Blog do Ulhoa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui