Boletins epidemiológicos mostram que nível de transmissão da covid-19 tem aumentado, informa GDF

DF registra maior taxa de transmissão em 2021

O governo alerta população a se prevenir e evitar aglomerações, como forma de evitar o agravamento da doença; mesmo com abertura de novos leitos, taxa de ocupação de UTIs chega a 90%

Por Cláudio Ulhoa

As medidas restritivas adotadas pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), para conter o avanço da covid-19 vai ao encontro dos dados divulgados pelos últimos boletins epidemiológicos sobre a doença. De acordo com esses boletins, o índice de transmissibilidade do vírus aumentou, desde semana passada, de 0,89 para 1,08 (em março do ano passado, esse número chegou a 3,10). O índice acima de 1, mostra que a epidemia tende a aumentar, e se estivar abaixo de 1, ela começa a perder força em relação ao contágio.

O aumento mostrado pelos boletins foi sentido na prática pela Secretaria de Saúde (SES-DF) que, aconselhou o governo a adotar medidas preventivas para tentar conter o avanço da doença. Outro indicador que mostrou às autoridades que há indícios de uma segunda onde da doença, foi a ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), que começou a aumentar nos último dias.

De acordo com a SES-DF, a taxa de ocupação desses leitos chegou a atingir na semana passada 98%. Entre sexta-feira (26) e segunda-feira (1º/3), foram mobilizados 66 leitos de UTI e o índice caiu para 90%. “Independentemente do valor, é a variação e o aumento da taxa de transmissão do vírus que reflete nos leitos de UTI”, lembra o diretor de Vigilância Epidemiológica da SES-DF, Cássio Peterka. “Hoje, 70% das regiões administrativas já têm taxas de transmissão acima de 1 e as outras estão bem próximas disso. Apesar das restrições, as medidas ainda devem demorar uns 15 dias para surtirem efeito”, complementa o diretor.

Até neste domingo, o DF confirmou mais 27 mortes e 2.142 novos casos de pela doença. Com isso, chegou-se a um total de óbitos de 4.865, e os infectados somam 298.836, segundo dados da SES-DF.

Taxa de ocupação de UTIs para pacientes com covid-19 está em 90%

Prevenção

Ainda não há formas de combater o novo coronavírus, o que se pode fazer, no momento, é ser prevenir contra ele. Daí a importância do uso de máscaras, de álcool em gel, e do respeito ao distanciamento social de dois metros em lugares onde há aglomerações.

No caso do DF, o governo informa que diversas medidas estão sendo adotadas para prevenir a população contra a doença. A iniciativa principal dessa postura adotado pelo poder público para conter a doença está a vacinação. No DF, a vacinação ocorre, segundo as determinações do Ministério da Saúde. Além disso, o governo também abriu e continua a abrir novos leitos de UTI exclusivos para paciente com covid-19. Este ano também, diferente de 2020, há o suporte do Hospital de Campanha de Ceilândia, já em funcionamento e que deve dar apoio no combate à doença.

“Todos os 60 leitos do Hospital de Campanha de Ceilândia serão transformados em leitos de UTI. Além disso, ampliaremos os leitos de enfermaria do Hran para melhor atender os pacientes com covid-19”, garante o secretário adjunto de Assistência da SES-DF, Petrus Sanchez.

Em razão do decreto baixado na última sexta-feira (26/2), onde fica proibido o funcionamento de comércios e de serviços não essenciais, até o dia 15 de março. O DF Legal continuará fazendo as fiscalizações para fazer valer as determinações impostas no decreto.

De acordo com levantamento divulgado pelo DF Legal, até o dia 21 de fevereiro, a força-tarefa já fiscalizou 544.420 estabelecimentos; 24.994 foram fechados compulsoriamente; 1.962 interditados; e 663 multados por desobediência às medidas preventivas.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui