Ala interditada no Hmib já está funcionando

Problema de infiltração está resolvido no Hmib

O espaço foi liberado em 24 horas, após reforma em caráter de urgência no telhado da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin); governo deve abrir licitação para realização de reforma completa da unidade

Por Cláudio Ulhoa

Após visita do vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto (Avante) e do secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, nesta segunda-feira (4), a uma das alas da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) para vistoriar uma infiltração que comprometeu parte do telhado do Utin, o espaço que tinha sido interditado já volto a funcionar.

Os danos causaram a interdição de dois leitos, mas por precaução, o hospital resolveu interditar mais três leitos. O Hmib, segundo a Secretaria de Saúde, possui de 40 leitos, sendo 25 de UTI neonatal, destinados a recém-nascidos que demandam cuidados especiais.

“Os bebês foram realocados para outros espaços e continuam recebendo todo o tratamento necessário, sem prejuízo algum. Nada mudou na assistência”, disse a diretora-administrativa da Utin, Gláucia Silveira.

A reforma no telhado foi feita no prazo de um dia. A desobstrução do local é importante, já que há casos de bebês que ficam internados no hospital por até quatro meses.

O vice-governador do DF, já na segunda-feira, tinha assegurado que entregaria a obra já na terça-feira (5). “Foi constatado um problema estrutural. Na última reforma, as telhas que deveriam ter sido colocadas sobrepostas foram apenas encaixadas. Isso ocasionou a infiltração”, explicou Paco Britto durante a vistoria.

Todo reforma do telhado foi feita pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Além disso, o governo vai abrir nos próximos 30 dias, um processo de licitação para que uma reforma completa seja feita no telhado da unidade.

“Os leitos neonatais são muito importantes porque o Hmib é o nosso principal hospital em relação ao atendimento de pacientes neonatais em UTI. Ele atende pacientes não só do Distrito Federal, mas também de Goiás, da Bahia e do Mato Grosso”, destacou o secretário Osnei Okumoto.

Okumoto também falou que nas obras a serem licitadas, vai haver reforma nas telhas, o conserto dos vazamentos, a realocação dos pontos de fixação de para-raios, entre outros.

*Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui